Cursos Rápidos SENAI: conheça opções que estão em alta
Cursos Rápidos

Cursos Rápidos SENAI: conheça opções que estão em alta

17/01/2022 • 3 min de leitura

Com a correria do dia a dia, pode ficar difícil separar um tempo para fazer cursos de longa duração e se aperfeiçoar em alguma área de trabalho. Os Cursos Rápidos SENAI simplificam essa necessidade e são uma ótima oportunidade para quem quer melhorar o currículo. Se nas suas resoluções de ano novo você deixou um espaço de destaque para o seu aperfeiçoamento profissional, os Cursos Rápidos SENAI vão tornar a concretização desse desejo mais simples. Isso porque aqui você encontra cursos nas mais diversas áreas, tendo alternativas presenciais, híbridas e também 100% online. Então não perca tempo e aproveite para começar o ano fazendo um curso que fará a diferença na sua carreira profissional. Neste texto separamos cinco cursos rápidos que estão em alta e podem ser uma boa alternativa para você. Dev In House Curso número 1 em buscas aqui no SENAI, o DevInHouse vai muito além de uma simples aula para o aprendizado da profissão de desenvolvedor. Neste curso, você irá participar de imersões durante 9 meses com uma metodologia para rápida absorção de conteúdos, alinhado a simulação da rotina de um DEV e conexões com empresas de TI. Além de aprender na prática sobre o trabalho, é também uma ótima oportunidade para se destacar e garantir uma vaga em uma empresa de grande nome. O objetivo do curso é o de oferecer ao estudante a oportunidade de se tornar um desenvolver full stack. Para isso, passará pelo desenvolvimento do frontend utilizando frameworks amplamente adotados no mercado, passando pelo desenvolvimento do backend, com linguagem de programação robusta e banco de dados. Eletricista instalador predial Quem nunca precisou de um eletricista instalador que atire a primeira pedra! Extremamente necessário pela complexidade do trabalho, esse profissional, antes de iniciar na carreira, deve estar preparado para conhecer bem todos os padrões e normas técnicas. E é exatamente isso que o aluno vivenciará durante as aulas do curso rápido SENAI de eletricista instalador predial! Sob supervisão direta, ao longo do curso será possível executar, manter e reparar instalações elétricas prediais, residenciais e comerciais de baixa tensão, seguindo projetos em conformidade com normas técnicas. Para isso, o curso exige o manuseio e operação de equipamentos, componentes e instrumentos apropriados para o aprendizado. Com duração de 160 horas e sem pré-requisitos exigidos, o curso é a melhor alternativa para você que quer entrar nessa profissão. Assistente Administrativo Profissional necessário em praticamente todas as empresas, o assistente administrativo chama atenção por seu dinamismo e capacidade de atuar em diferentes setores para o funcionamento de uma empresa. Seja na área financeira, de marketing, comunicação ou vendas, esse profissional estará presente. Ao fazer o curso rápido SENAI de Assistente Administrativo, o profissional terá em sua bagagem técnicas administrativas ideais para a entrada no mercado de trabalho e para atualizar seus conhecimentos. Com duração de 60 horas e sem a exigência de pré-requisitos, aprenderá ao longo do curso sobre o funcionamento de uma empresa e noções teóricas importantes, além de conceitos de trabalho em equipe, planejamento, postura comportamental, avaliação de qualidade e muito mais. Torneiro Mecânico Se o seu plano é o de trabalhar em indústrias metalúrgicas e mecânicas, bem como nas fábricas do setor de automação, mineração e siderurgia, o curso rápido SENAI de Torneiro Mecânico pode ser uma ótima alternativa de aperfeiçoamento profissional. Neste curso presencial com duração de 160 horas, o aluno aprenderá a regular e operar o torno mecânico, confeccionar peças de uso industrial de acordo com as normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene e saúde. Divido em 4 etapas, o curso aborda os conteúdos: Metrologia para mecânica; Leitura e interpretação de desenho mecânico; Tecnologia mecânica para torneamento; e Usinagem em torno mecânico convencional. Informática Básica Em um mundo cada vez mais tecnológico, não ter domínio de informática básica é um grande problema para os profissionais da atualidade. São raras as empresas que ainda não informatizaram seus sistemas e a tendência é que os processos analógicos sejam cada vez mais substituídos pela agilidade dos computadores nos próximos anos. Então se você ainda não tem essa habilidade em seu currículo, o curso rápido SENAI de Informática Básica é para você! Durante as 32 horas de curso, você aprenderá sobre conceitos básicos de informática, bem como a utilização de sistemas de e-mail, editores de texto, ferramentas de acesso à internet e muitos outros assuntos. Sem pré-requisitos exigidos, é o curso ideal para melhorar a qualidade e produtividade do seu trabalho.   Se você chegou até aqui, provavelmente tem interesse em atuar em alguma dessas áreas, ou sabe o quanto aprofundar seus conhecimentos é importante para a sua profissão. Para além dos cursos que separamos, no SENAI você ainda encontra diversas outras opções que podem combinar ainda mais com você e com a sua necessidade profissional. Conte com o SENAI para construir uma carreira com a qualidade de ensino que você já conhece

Responsabilidade social: 3 ações do Ensino Superior SENAI que vão te ajudar durante a graduação
Graduação

Responsabilidade social: 3 ações do Ensino Superior SENAI que vão te ajudar durante a graduação

21/12/2021 • 3 min de leitura

A graduação é o momento ideal para absorver conhecimentos, aprendendo teoria e prática de forma integrada. Mas também pode ser um período de grandes preocupações que gera angústia e incertezas para os acadêmicos.  Um dos motivos constantes de apreensão é com a questão financeira, além das inseguranças relacionadas ao futuro e à profissão. Nos últimos anos, somou-se a isso, a pandemia causada pela Covid-19 que também evidenciou os sentimentos de ansiedade e estresse. Nesse contexto, é possível perceber como os projetos de extensão e as ações sociais são fundamentais para atender às necessidades dos alunos tanto no aspecto pessoal quanto profissional, proporcionando mais segurança no exercício da profissão.  No Ensino Superior SENAI, a responsabilidade social é um tema de extrema importância e as ações são pensadas visando a construção de um futuro melhor para toda sociedade. É por isso que os projetos são desenvolvidos interna e externamente. Ou seja, trabalham desde questões financeiras dos alunos até o atendimento e acolhimento em situações de estresse.  Conheça três projetos de responsabilidade social do Ensino Superior SENAI que contribuem para a construção de um mundo melhor:  1 – Cuidado com a saúde emocional também é responsabilidade social O Programa de Acolhimento e Convivência (PAC) é onde toda a comunidade escolar (equipe pedagógica, professores, alunos e familiares) pode encontrar suporte emocional.  O programa nasceu no contexto da pandemia, quando se percebeu um aumento das situações de estresse e sofrimento psíquico, mas com objetivo de desenvolver atividades contínuas e hoje já é uma referência em cuidado e saúde emocional.   Internamente, nos ambientes do Ensino Superior SENAI, o projeto traz ações de acolhimento por meio do diálogo com a comunidade acadêmica. Também são disponibilizadas mensagens informativas em cartazes e músicas nos televisores dos corredores.  Além disso, o PAC tem parceria e faz encaminhamentos à rede de apoio externa, que são os órgãos responsáveis por acolher demandas relacionadas à saúde mental, tais como: Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Conselho Tutelar, Unidades Básicas de Saúde, Pronto Atendimento, ONGs, além de clínicas particulares e clínicas escolas de universidades.  2 – Bolsa de estudo para projetos socioambientais Pensando na questão financeira dos alunos, o Ensino Superior SENAI oferece bolsas de estudo por meio do programa Uniedu. Os valores são financiados pelo Governo Estadual para pagamento total ou parcial das mensalidades dos alunos economicamente carentes e regularmente matriculados em cursos presenciais da instituição.  O índice varia de 25% a 100% no valor das mensalidades e o programa oferece diferentes tipos de bolsas de estudo, pesquisa e extensão. No caso do Ensino Superior SENAI, são ofertadas bolsas de extensão. Nelas, os alunos contemplados precisam participar de um projeto de cunho socioambiental como contrapartida pelos valores recebidos. As bolsas são ofertadas anualmente e as inscrições são realizadas diretamente pelo site do Uniedu. 3 – Projetos Integradores do Ensino Superior SENAI Também é normal bater uma insegurança em relação ao futuro e à profissão. Além de se preocupar com a qualidade do ensino, o Ensino Superior SENAI garante que os alunos terão o aprendizado que precisam na prática.  É com esse objetivo que nasceu o Projeto Integrador,  uma ação que visa desenvolver vivências e competências práticas relacionadas aos cursos de graduação. Nele, alunos, professores, a instituição, empresas e a comunidade se envolvem em busca de cooperação e compartilhamento de experiências. A metodologia estimula os acadêmicos a colocarem a responsabilidade social em prática por meio da criação soluções complexas. Isso, ao mesmo tempo em que desenvolvem seu espírito empreendedor e inovador, capacitando-se para solucionar problemas e junto à sociedade e organizações, integrando a pesquisa e extensão. Os Projetos Integradores são desenvolvidos com ideias internas (alunos, professores, coordenação), ou com ideias ou casos reais vindos da indústria, comunidade, institutos, instituições, etc. Um dos Projetos é o Pedalinho Elétrico, que teve como objetivo desenvolver o sistema de propulsão solar adaptado a um pedalinho normal já existente. Os alunos da quarta fase dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Controle e Automação da Faculdade SENAI Jaraguá do Sul desenvolveram o trabalho que envolveu as seguintes disciplinas: Cálculo Numérico, Ciência e Tecnologia dos Materiais, Engenharia Econômica, Física III, Mecânica I e Estática. Gostou dessas iniciativas do Ensino Superior SENAI de Santa Catarina? Conheça a Faculdade que irá transformar sua carreira! Aqui, nós exploramos as metodologias ativas no processo de ensino e de aprendizagem, buscando solucionar os problemas complexos da indústria com o suporte de inovações de diversas naturezas. Ao mesmo tempo em que promovemos a execução de projetos sociais para atender as necessidades da comunidade. Tudo isso sustentado na vivência prática em projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. Oferecemos uma formação de alto nível, contando com a parceria das maiores empresas do estado de Santa Catarina e dos Institutos SENAI (de Inovação e de Tecnologia), além de uma infraestrutura de laboratórios e espaços de aprendizagem modernos e diferenciados. Conheça todos os nossos cursos de graduação, encontre o ideal para você e coloque seu futuro em prática! 

As 5 linguagens de programação mais utilizadas
Graduação

As 5 linguagens de programação mais utilizadas

17/12/2021 • 3 min de leitura

As linguagens de programação são, sobretudo, uma combinação de funções que visam evoluir alguma linguagem já em uso. Dessa forma, cada vez mais se busca simplificar a leitura, refletindo em agilidade nos sistemas computacionais. Mas, apesar das constantes atualizações, certas linguagens, ainda que criadas há décadas, permanecem essenciais para a construção dos sistemas computacionais atuais.  As linguagens de programação se mantêm presentes nos currículos dos cursos superiores em desenvolvimento de sistemas, e, de todas elas, destacamos as cinco linguagens a seguir como as mais utilizadas:  Python Java Html C Type script Python A linguagem Python  foi criada em 1989 pelo matemático e programador Guido Van Rossum, no Centrum Voor Wiskunde, um centro de pesquisa em matemática e informática teórica localizado em Amsterdã, na Holanda. A relevância de Python está no fato da linguagem possuir uma boa visualização dos dados. Com ela, é possível, construir  através de poucas linhas de código, gráficos, mapas de distribuição de dados e de calor. Assim, Python é amplamente utilizada em data science, machine learning, desenvolvimento de web, desenvolvimento de aplicativos, automação de scripts e fintechs. Java O programador canadense James Gosling, em 1995, chefiando uma equipe da Sun Microsystems, desenvolveu a linguagem Java, uma das mais populares. Ela se baseia na orientação de objetos, que é um conjunto de regras de sintática, ou seja, a relação coerente entre o que está escrito no código com o significado que cada um dos elementos, a semântica.  Mas, diferente  das linguagens modernas, ela não converte os dados em código puro, e sim em bytecode, uma linguagem com funções mais básicas, que é interpretada pela máquina virtual da própria Java, a JVM (Java Virtual Machine).  Além disso, na plataforma Java, existe a J2ME, destinada a programas de jogos, mobile, computadores e para outros eletrônicos mais simples, como calculadoras. Enfim, as possibilidades de aplicações da linguagem Java são extensas, e estão  presentes no nosso dia-a-dia em uma infinidade de produtos, como em GPS, cartões de crédito e terminais de pagamento de boletos bancários. Html Uma exceção à essa lista, por sua grande versatilidade,  é a Linguagem de Marcação de Hipertexto, ou HTML, foi criada em 1991, pelo físico Tim Berners-Lee.  Ela é um conjunto de bloco de construção básico na estrutura da web. Com a função de representar os elementos especiais em posições específicas do código, conforme as necessidades para um funcionamento integrado. Esses elementos podem ser imagens, vídeos, estruturas de texto, links entre outros. No começo da Internet, devido a necessidade de popularização, as regras de codificação eram mais flexíveis, isso tornou possível o sucesso do HTML a nível mundial. Entretanto, com o próprio amadurecimento e difusão da linguagem, as regras foram ficando mais rígidas. Todavia, a HTML está presente nos sites, landing pages e outros formatos de páginas online em textos, imagens, gráficos e hiperlinks, organizando e conectando esses conteúdos de forma harmônica. C Entre 1969 a 1973 no AT&T Bell Labs, Ken Thompson e Dennis Ritchie,  eu uma redução da linguagem BCPL, surgiu a linguagem C. O seu vem de algumas características herdadas da linguagem B. Já nas décadas 1970 e 80, ocorreu o grande ponto de virada quando os microcomputadores PDP-11, passaram da linguagem Assembly para ter a núcleo dominado pelo linguagem C, facilitando a portabilidade do sistema operacional Unix. Na atualidade a linguagem C é utilizada desde de sistemas de automação, robôs, editores de vídeo e imagem a sistemas operacionais, programados parcialmente ou totalmente com ela, como o Mac OS, Linux e o Windows. Type script A Type Script é uma das mais recentes linguagens de código aberto. Ela foi desenvolvida pela Microsoft , e lançada em 2012, com participação inclusive de Anders Hejlsberg, arquiteto da linguagem C#, criador originalmente das linguagens Delphi e Turbo Pascal. Ela foi criada com a função de adicionar ao Javascript, novas ferramentas como, a orientação a objetos e tipagem estática, ou seja, as características são definidas pelo código, o que melhora a documentação e valida  o código precisamente. Assim, com sua evolução, surge a possibilidade de superar a Javascript,  renovando e corrigindo bugs e procedimentos em usabilidade e tempo resposta.    Quer escolher um curso de graduação em programação e dominar essas linguagens e muitas outras, fique atento! Desta forma, o ideal é contar com uma instituição de ensino renomada, com nível de excelência no MEC e docentes que possuem experiência no mercado. Tudo isso você encontra no SENAI! Enfim, gostou desse texto? Deixe seu comentário, dúvidas ou sugestões abaixo! Aproveite para compartilhar com outras pessoas que também possam ter interesse. Para mais conteúdos, acesse o nosso blog. Até a próxima! 😉

Inovação em saúde: conheça as 4 principais tendências
Mercado de trabalho

Inovação em saúde: conheça as 4 principais tendências

08/12/2021 • 4 min de leitura

A integração entre tecnologia e inovação proporcionado o desenvolvimento de soluções cada vez mais avançada para diagnósticos mais precisos e tratamentos mais eficientes   Já parou para pensar que, há poucos anos atrás, a única forma de saber o resultado de um exame, era indo até o laboratório que realizou a coleta e recebê-lo em um papel? Ainda, hoje em dia, há quem prefira o modo “tradicional”. Mas ele está cada vez mais caindo em desuso e sendo substituído pela tecnologia, que proporciona visualizar o resultado em qualquer tela e estando em qualquer, basta estar conectado à internet. Pode até parecer uma mudança bem pequena e simples se pensarmos na evolução tecnológica que ocorre além da esfera da saúde. Porém, percebe-se a importância da transformação digital quando consideramos o tempo e os recursos como papel e tinta, entre tantos outros, que foram economizados pelos pacientes e pelos profissionais da saúde.  Essa e outras inovações tecnológicas que, anos atrás, só eram vistas em filmes de ficção científica têm transformado diversos procedimentos e práticas na área da saúde. Proporcionando, em consequência, mais agilidade nos atendimentos, o que pode salvar uma quantidade imensurável de vidas. Mas os benefícios não param por aí! Nesse texto, além de conhecer as tendências e tecnologias mais relevantes para o setor, você vai entender a importância de investir na inovação em saúde. E mais: descubra como trazer mais inovação para a sua área de atuação! Vamos lá? Por que é importante investir em inovação em saúde? Com o aumento da demanda por atendimento médico e o rápido crescimento das internações provocadas pela Covid-19, o mercado da saúde foi ainda mais desafiado, tornando urgente a necessidade por novos formatos de prestação de serviços. Os objetivos eram a redução dos custos e do tempo de espera para os atendimentos, além dos desperdícios em geral.  Isso acabou proporcionando diversas inovações tecnológicas na saúde e a aceleração de alguns recursos que ainda eram pouco utilizados e conhecidos, como é o caso da telemedicina, por exemplo. Outros benefícios da inovação na área da saúde são: Tomada de decisões mais estratégicas e assertivas; Processos mais automatizados; Acompanhamento de dados e índices em tempo real; Soluções mais efetivas; Aprimoramento não só do tratamento como da prevenção de doenças; De modo geral, apostar na inovação significa otimizar os processos, aumentando a produtividade dos profissionais de saúde (tanto das organizações privadas como públicas) e, consequentemente, oferecer um atendimento mais completo e humanizado para os pacientes.  4 principais tendências de inovação em saúde 1 – I.A (Inteligência Artificial) A Inteligência Artificial, ou IA, já está presente em diversas atividades do nosso cotidiano e nos serviços de saúde não poderia ser diferente. Os chatbots ou assistentes virtuais, que fazem o primeiro atendimento aos pacientes, coletando informações e/ou direcionando para o ponto de contato correto, são apenas um exemplo de como a IA pode otimizar o dia a dia de uma clínica ou hospital. Porém, a IA oferece uma série de outras possibilidades (muitas ainda não exploradas) utilizando recursos como a computação cognitiva e o machine learning. Outros exemplos de aplicação da inovação em saúde são:  Pré-atendimento e pré-diagnóstico por meio da captação de informações realizadas por assistentes virtuais; Organização de fluxos de trabalho; Cirurgias assistidas; Gerenciamento de riscos dos pacientes. Implantando as práticas e ferramentas proporcionadas pela Inteligência Artificial na área da saúde, todos os processos são otimizados, desde o primeiro contato realizado com o paciente para agendar uma consulta, até o controle do estoque de medicamentos disponíveis no local. O que gera ganhos não só para os pacientes como também para os profissionais que atuam na área. 2 – Teleconsultas (ou telemedicina) Popularizadas após o início da pandemia de Covid-19, por conta do distanciamento social necessário para combater a doença, as consultas à distância chegaram para ficar.  Embora existam pontos de melhoria a serem aplicados, a troca entre paciente e médicos por meio da telemedicina é igualmente eficaz a presencial e traz diversos benefícios, principalmente na redução de custos e tempo de deslocamento. Consequentemente, ela também torna o atendimento mais acessível para toda a população, possibilitando o atendimento inclusive para as pessoas que moram em regiões mais remotas ou que, por razões variadas, não possuem acesso e condições para ir até um hospital, o que demonstra a importância dessa inovação tecnológica para a comunidade. 3 – Hospital 4.0 Os chamados hospitais 4.0 se referem à inovação tanto estrutural como nos processos ambulatoriais, visando aumentar a produtividade das equipes. Para isso, são associados e aplicados na área da saúde diversos conceitos como: Big Data, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e Robótica. Por essa razão, inclusive, também são utilizados os termos Saúde Digital ou Saúde 4.0 para descrever esse modelo que integra a Tecnologia da Informação (TI) com os serviços e a manufatura no setor. Um exemplo disso, são os aprimoramentos feitos em determinados procedimentos cirúrgicos para torná-los menos invasivos.  Entre os benefícios dos hospitais 4.0, podemos destacar:  A diminuição no tempo de recuperação para os pacientes; A redução das chances de complicações no período pós-operatório; Ganho em qualidade de vida para o paciente; Economia de recursos. 4 – Realidade aumentada Ao integrar elementos e informações virtuais ao mundo real, a realidade aumentada combina imagens feitas por câmeras e a captura de movimento por meio de sensores. Assim, torna-se possível representar fielmente as menores estruturas do corpo humano com muito mais precisão. O que possibilita que um cirurgião, por exemplo, veja em tamanho maior pequenos vasos e estruturas celulares, reduzindo a chance de erros.  A realidade aumentada também pode servir para o treinamento de médicos em formação, diagnósticos de exames mais precisos e, assim como as demais tendências da inovação em saúde, diminuir o tempo dos procedimentos. Mas como trazer mais inovação para o mercado da saúde? Qualificação é a resposta! Gestores e líderes preparados, com foco em inovação, podem fazer toda a diferença diante das mudanças cada vez mais necessárias e urgentes no setor da saúde.  Dessa forma, especializando-se em um programa de pós-graduação ou em um curso de extensão profissional, você adquire os conhecimentos necessários para manter-se competitivo no mercado, além de estar preparado(a) para novos desafios e oportunidades. O que achou desse texto? Deixe sua sugestão, comentário ou dúvida nos comentários! Compartilhe também com seus amigos e/ou colegas que também possam ter interesse no tema. Para acessar outros conteúdos sobre educação, acesse o nosso blog. Nos vemos em breve! 😊  

[Lista atualizada] Conheça os 7 cursos técnicos que mais empregam
Cursos Técnicos

[Lista atualizada] Conheça os 7 cursos técnicos que mais empregam

01/12/2021 • 4 min de leitura

Como escolher os cursos técnicos que mais empregam e que expectativas ou tendências existem para essas profissões? Você sabia que até 2023, o Brasil terá de qualificar 10,5 milhões de trabalhadores? O dado é do Mapa do Trabalho Industrial e mostra que, neste cenário, o mercado demandará ainda mais profissionais com formação técnica. A notícia é uma ótima oportunidade para você que quer retomar ou iniciar a carreira em 2022, mas ainda não sabe qual curso técnico escolher. Assim, para ajudar você a decidir o seu futuro sem medo, reunimos aqui uma lista com os cursos e áreas mais demandados e com alto potencial de empregabilidade. Confira! Cursos técnicos mais procurados pelo mercado de trabalho De acordo com uma pesquisa realizada pelo Mapa do Trabalho Industrial, as áreas que vão precisar de mais técnicos no Brasil e em Santa Catarina são:  Metalmecânica; Informática;  Construção; Logística; Energia e telecomunicações; E eletroeletrônica; Além disso, destacam-se os técnicos com qualificação transversal, ou seja, que possuem uma formação integrada e que possibilitam o trabalho em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica, controle da produção ou administração. Para que você entenda na prática, separamos uma lista com os cursos técnicos que mais empregam e com maiores salários. Veja a seguir: 1. Técnico em Fabricação Mecânica Carga horária aproximada: 1280 horasSalário médio: R$4.598,67Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. Conforme a grade curricular do curso no SENAI, o principal objetivo desta formação é capacitar os profissionais para o planejamento de sistemas de fabricação mecânica, operacionalização e coordenação de seus processos, considerando custos operacionais e especificações do projeto.  Ademais, é importante saber que a fabricação mecânica abrange um mercado com alto potencial e demanda por profissionais e, ao formar-se neste curso, você executará atividades como reparo de moldes para injeção de termoplásticos e até de conjuntos mecânicos (usinagem). [MELHORES CURSOS TÉCNICOS DE FABRICAÇÃO MECÂNICA] 2. Técnico em Desenvolvimento de Sistemas Carga horária aproximada: 1000 horasSalário médio: R$4.049,03Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. Atualmente, o setor de TI é um dos que mais demandam mão de obra qualificada. Assim, com esta formação, você poderá desenvolver e programar sistemas computacionais, de forma a atender normas de qualidade, usabilidade, integridade e segurança da informação.  Aliás, no SENAI, você pode fazer o curso de Desenvolvimento de Sistemas a nível técnico ou tecnólogo (graduação). Para saber qual é o mais adequado para a sua carreira, confira nossas dicas nesta matéria.  [MELHOR CURSO TÉCNICO EAD EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS] 3. Técnico em Edificações Carga horária aproximada: 1200 horasSalário médio: R$3.778,13Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. Se você deseja seguir carreira no setor de construção civil, este é o curso certo. Afinal, com ele, você aprende a desenvolver orçamentos, calculá-los, a fazer a manutenção de obras e a dominar os projetos de edificações. Dessa forma, com todo esse leque de habilidades ao final da formação, você também será capaz de coordenar e acompanhar as equipes durante a execução dos projetos. Se interessou? Conheça alguns cursos técnicos em edificações no link abaixo: [MELHORES CURSOS TÉCNICOS EM EDIFICAÇÕES] 4. Técnico em Logística Carga horária aproximada: 960 horasSalário médio: R$2.369,00Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. Empresas que produzem ou prestam serviços em grande quantidade precisam de um profissional para planejar e organizar suas questões logísticas. Por isso, ao formar-se como técnico em logística, um mundo de oportunidades se abre em diversos setores, sejam eles industriais ou não. Com este curso, você será capaz de atuar em operações logísticas, aprendendo tudo sobre procedimentos de transportes, armazenamento e distribuição nas cadeias de bens e serviços.  [MELHOR CURSO TÉCNICO EAD EM LOGÍSTICA] 5. Técnico em Telecomunicações Carga horária aproximada: 1200 horasSalário médio: R$3.177,30Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. Entre os cursos técnicos que mais empregam, está ainda o de telecomunicações, que possibilita sua atuação nas áreas de planejamento, instalação e manutenção de sistemas de telefonia, comunicação de dados, serviços de celulares e TV digital. [MELHORES CURSOS TÉCNICOS EM TELECOMUNICAÇÕES] 6. Técnico em Eletrotécnica Carga horária aproximada: 1280 horasSalário médio: R$4.909,06Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. O curso técnico em eletrotécnica capacita os profissionais para que se tornem aptos a projetar, instalar, manter e operar sistemas elétricos e equipamentos seguindo normas técnicas. Dessa forma, o trabalho poderá ser realizado tanto em construções civis, quanto na indústria, ou em empresas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de telecomunicações.  [MELHORES CURSOS TÉCNICOS EM ELETROTÉCNICA] 7. Técnico em Informática para Internet Carga horária aproximada: 1000 horasSalário médio inicial: R$1.665,00Requisitos e idade mínima: cursar o 2º ano do Ensino Médio ou o ter concluído; 14 anos. O curso técnico em Informática para Internet capacita o profissional a desenvolver softwares, sistemas e aplicativos para internet. Por isso, no curso, você estudará diferentes linguagens de programação, aprenderá metodologias modernas na área de TI e poderá atuar em quase todos os setores da economia. [MELHORES CURSOS TÉCNICOS EM INFORMÁTICA] Onde fazer um curso técnico para conseguir emprego Na hora de definir a sua instituição de ensino e escolher entre os cursos técnicos que mais empregam, prefira aprender na prática e com quem sabe: faça SENAI. Afinal, somos o maior complexo privado de educação profissional da América Latina, possuímos altas taxas de empregabilidade para formandos e formados e ainda contamos com cursos presenciais, semipresenciais e 100% online. Aqui, 7 em cada 10 formados nos Cursos Técnicos estão empregados¹, com um diploma reconhecido amplamente pela indústria, e podendo trabalhar em qualquer setor da economia. De fato, segundo a Pesquisa de Acompanhamento de Egressos do SENAI, o índice de alunos empregados entre 2017-2019 foi de 86,4% para a área de Tecnologia da Informação, 72,9% para a área de Logística, 71,4% para o setor de Segurança do Trabalho, 70,5% para a área de Refrigeração e Climatização, e 67,9% para Gestão. Inegavelmente, fazer um curso técnico no SENAI é a opção perfeita para garantir sua vaga no mercado de trabalho, não acha? Então, que tal escolher um dos cursos técnicos da lista e mudar a sua história? Acesse nosso site e veja as melhores opções para você!

Mulheres na Engenharia: desafios e oportunidades na área
Graduação

Mulheres na Engenharia: desafios e oportunidades na área

24/11/2021 • 5 min de leitura

  Os cursos de Engenharia existem há 229 anos no Brasil, desde a criação da Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, no Rio de Janeiro. Mas, foi somente em 1810, com a vinda da família real portuguesa, que o Ensino Superior da Engenharia se concretizou no país.  No entanto, o primeiro diploma de Ensino Superior foi concedido a uma mulher no Brasil, apenas em 1917. O fato ocorreu 125 anos depois da concretização do curso, também no Rio de Janeiro, para a pioneira engenheira civil Edwiges Maria Becker Hom’meil, abrindo caminho para inúmeras novas engenheiras. A Engenharia é um dos cursos que, mesmo em 2021, ainda é muito associado ao sexo masculino. Dados do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), mostram que de todos os profissionais registrados em todas as modalidades do sistema Confea/Crea, apenas 19% é representado por mulheres.  Ainda assim, mesmo com todo estigma, estereótipo e preconceito, há grandes feitos que marcaram a história do Brasil e do mundo, realizados por engenheiras. O que mostra que essa é uma profissão com desafios e oportunidades tanto para homens, quanto para mulheres.   5 engenheiras importantes no Brasil Além da Engenheira Civil Edwiges Maria Becker Hom’meil, formada na Escola Polythecnica do Distrito Federal, hoje Escola Politécnica da UFRJ, listamos abaixo 5 outras mulheres que registraram feitos importantes na Engenharia. 1 – Aïda Espinola Engenheira Química pela Universidade do Brasil, PhD pela Universidade de La Plata. Foi responsável pelo laboratório de exploração do primeiro poço de petróleo do Brasil, escolhido pela NASA para analisar fragmentos rochosos extraídos da Lua. 2 – Veridiana Victoria Rossetti Primeira Engenheira Agrônoma do Estado de São Paulo. Integrou a Comissão Internacional de Phytophthora, teve mais de 300 trabalhos publicados e apresentados em congressos nacionais e internacionais e foi presidente da Comissão Permanente de Cancro Cítrico. 3 – Enedina Alves Marques Primeira mulher negra a se formar em Engenharia Civil no país e a primeira mulher engenheira do sul do país. Durante a obra da Usina Capivari-Cachoeira, atual Usina Hidrelétrica Governador Pedro Viriato Parigot de Souza, maior central hidrelétrica subterrânea do sul do Brasil. Enedina ficou conhecida por liderar diversos peões, operários, técnicos e engenheiros e pelo seus posicionamentos, sempre exigindo ser respeitada.   4 – Ana Primavesi Engenheira Agrônoma e uma das primeiras a analisar o solo como um ser vivo, com todas as devidas especificações e variáveis. Foi também pioneira no estudo sobre o manejo ecológico do solo e sua difusão e uma das fundadoras do primeiro curso de pós-graduação em Agricultura Orgânica e de da Federação Internacional de Movimentos e Agricultura Orgânica, premiada no One World Award, principal prêmio da agricultura orgânica mundial. 5 – Marília Chaves Peixoto Engenheira Matemática formada pela Escola Politécnica da Universidade do Brasil, foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Ciências. Desenvolveu, junto ao seu marido, Maurício Peixoto, o Teorema de Peixoto, trabalho de repercussão internacional.   Espaço de trabalho Por se tratar de uma profissão que possui um estereótipo extremamente masculino construído socialmente, ainda hoje, as mulheres encontram algumas barreiras como a desigualdade salarial, dificuldade em ocupar certos cargos e a falta de oportunidades. No entanto, aos poucos, esse cenário está se transformando, conforme você verá abaixo.     Capacidade técnica Sobretudo, na Engenharia, não importa em qual área, pensar, projetar, executar e criar soluções é resolver problemas. Cada vez mais mulheres têm encontrado na Engenharia uma forma de expressar sua vontade de mudar o mundo. Nesse sentido, de 2015 até 2020, os dados do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) mostram um crescimento de 5% das profissionais ativas no sistema.  Embora represente um crescimento, ele ainda está longe do número de engenheiros homens cadastrados. As engenheiras que se formam ainda precisam inspirar outras mulheres a seguirem por esse caminho.    Reconhecimento Pensando nisso, foi criado pela Women’s Engineering Society (WES), do Reino Unido, o Dia Internacional das Mulheres na Engenharia, comemorado no dia 23 de junho. A data tem o objetivo de fortalecer esse espaço que as engenheiras vêm ganhando na profissão, em meio a tanta superação e desafios. Em contrapartida, de acordo com dados do CREA-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná), houve um aumento de 80% no número de mulheres registradas no Conselho nos últimos 10 anos, com mais da metade atuando na Engenharia Civil. Além disso, estudos do Confea indicam que o número de engenheiras registradas por ano no sistema teve um crescimento de 45% entre 2016 e 2020.   Futuras engenheiras Conversamos com 5 estudantes de Engenharia, da Faculdade SENAI Blumenau e percebemos que a força de trabalho feminina tem ganhado maior aceitação. Carla Regina, aluna do curso de Engenharia de Produção, trabalha atualmente como Técnica em Segurança do Trabalho e relata não sofrer preconceito em seu ambiente de trabalho e estudo.  Já Dayane Friedel, líder de turma, trabalha como estagiária de Planejamento, Programação e Controle de Produção (PPCP), cresceu dentro de uma indústria de brinquedos e ao precisar escolher um curso de graduação, optou por pedagogia, mas sentiu falta dos processos de fabricação, linhas de produção e do ambiente onde cresceu, migrando então para o curso de Engenharia de Produção, numa sala de aula com apenas 4 mulheres. No trabalho, relata os questionamentos frequentes sobre suas habilidades e conhecimentos, mesmo passando por processo seletivo com os mesmos requisitos dos demais funcionários da empresa.  Do mesmo modo, Thaila Kaht, que também é uma das quatro integrantes da turma e trabalha com planejamento de produção, relata que mesmo precisando demonstrar o que sabe a todo tempo, precisa desse espaço de fala para que possa ganhar confiança e poder demonstrar na prática que pode contribuir muito com o trabalho. Thaila escolheu estudar na Faculdade SENAI pelo aprendizado prático proporcionado pelos laboratórios e recursos inovadores.   Engenheiras da Faculdade SENAI Ao passo que a professora Tania Maria Costa, Engenheira Química especialista no desenvolvimento de processos químicos e biotecnológicos ouviu diversas vezes que Engenharia era curso para homens, porém, ao cursar Engenharia Química, percebeu que boa parte dos alunos eram mulheres e que a maior parte dos formandos ao final do curso também eram mulheres. Do mesmo modo, a professora Vanessa Feliciano, Engenheira de Materiais com mestrado e doutorado na mesma área, relata que sempre foi bem recebida e respeitada nas diferentes empresas em que trabalhou. Ela ressalta que é importante as empresas adotarem práticas inclusivas, como o incentivo à ciência, melhores condições e direitos trabalhistas como licença maternidade estendida, apoio à amamentação, entre outros, além da divisão destes papéis com o homem, como ocorre em alguns países desenvolvidos.  Por último, Vanessa também participou do PBL 2021, promovido pela Universidade de Aalborg, na Dinamarca, contribuindo na publicação de um artigo sobre projetos integradores desenvolvidos com alunos de engenharia. O artigo falava sobre o projeto e desenvolvimento de protótipos de brinquedos inclusivos para parques infantis, mostrando como a aprendizagem na prática pode proporcionar o crescimento de um profissional completo, com foco não só no produto, mas também no cliente e sociedade, desenvolvendo habilidades realmente necessárias no mercado de trabalho.    Por que cursar Engenharia na Faculdade SENAI? A Faculdade SENAI é uma instituição que valoriza a aprendizagem na prática, o HandsOn, abordagem que é essencial para a formação do profissional de qualquer área. Você pode escolher sua formação e participar como protagonista do seu próprio aprendizado. Três mantras regem os cursos de Engenharia oferecidos:  O foco da Faculdade SENAI é desenvolver projetos na prática, ao mesmo tempo levando em conta as necessidades da comunidade e indústria local. É o estudante que pesquisa e desenvolve suas ideias com o apoio de professores especialistas que agem como facilitadores nesse processo.  Com o mecanismo de projetos integradores, o aluno cresce como profissional, mesmo dentro da faculdade. A Faculdade SENAI forma Engenheiros para a vida. Quer se preparar para o mercado de trabalho e aprender com quem mais entende de indústria? Conheça os cursos de graduação da Faculdade SENAI.    5 cursos para formar Engenheiras ou Engenheiros altamente qualificados: – Engenharia Mecânica (Blumenau, Chapecó, Jaraguá do Sul e Joinville) – Eng. de Controle e Automação (Blumenau, Jaraguá do Sul e Joinville) – Engenharia de Software (Blumenau) – Eng. de Produção (Joinville) – Engenharia de Computação (Florianópolis)   Coloque o seu futuro em prática!  

Análise e Desenvolvimento de Sistemas: entenda por que o curso é uma ótima opção em 2022
Graduação

Análise e Desenvolvimento de Sistemas: entenda por que o curso é uma ótima opção em 2022

18/11/2021 • 3 min de leitura

  Apesar de ser um curso conhecido há muitos anos, a Análise e Desenvolvimento de Sistemas está cada dia mais em alta. Isso porque, com o avanço tecnológico dos últimos anos, a demanda da área de Tecnologia da Informação (TI) não para de crescer. O setor é um  dos que mais oferece vagas de emprego e, portanto, a busca por profissionais qualificados é contínua. Mercado de trabalho e salário Para quem se interessa por tecnologia e inovação, as opções de cursos – técnicos, rápidos, graduações tecnológicas, entre outros – são muitas.  O que diferencia a graduação tecnológica em Análise e Desenvolvimento de Sistemas dos outros cursos são, principalmente, as diversas possibilidades de áreas de atuação depois que o aluno estiver formado. Como hoje em dia, a maioria das empresas já têm seus processos informatizados, é necessário que haja profissionais de análise e desenvolvimento de sistemas para manter esses processos e tecnologias em funcionamento. Consequentemente, esses profissionais podem exercer a função em empresas dos mais variados setores e atuarem nos mais diferentes cargos. O profissional pode, por exemplo, trabalhar com desenvolvimento de softwares, administração de redes ou administração de banco de dados. Como desenvolvedor de softwares, como já falamos anteriormente aqui no blog, o profissional vai utilizar a linguagem de programação para criar novos softwares, sites e apps e melhorar e manter os já existentes. Ou seja, o desenvolvedor é indispensável para o avanço das tecnologias, por isso, a demanda é, e vai continuar sendo por muito tempo, altíssima. Você vai entender mais a fundo como é o perfil, o mercado de trabalho, o salário e o dia-a-dia de um desenvolvedor, lendo esse conteúdo. Já na parte de administração de redes, o profissional fica responsável por toda a instalação, parametrização e configuração dos sistemas informatizados de uma empresa, incluindo o que diz respeito à segurança da informação, ou seja, a segurança de todos os dados que passam por esses sistemas. É um cargo de bastante responsabilidade porque, basicamente, toda a tecnologia da informação da empresa estará sob a gestão desse profissional. Como já dito anteriormente, praticamente todas as empresas já possuem sistemas informatizados, então, a demanda para esse tipo de função também é bastante ampla. O salário médio para esse cargo é de R$ 4.946,85, segundo pesquisa do salario.com.br. Já para um profissional que atua com administração de banco de dados, a mesma pesquisa mostra que a média salarial é de R$6.763,18. Nesse cargo, o analista/desenvolvedor de sistemas lida especificamente com a segurança dos dados. Com os sistemas informatizados, sabe-se que uma quantidade gigantesca de dados é compartilhada diariamente. E, com isso, é necessário o conhecimento de um profissional que gerencie, organize e faça uma manutenção constante dessas informações. Tanto para que elas não sejam usadas de forma incorreta ou fora da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), quanto para gerar insights e novas oportunidades para a empresa. Essas são apenas as três mais comuns das várias atuações possíveis para o profissional formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Mas, antes de ingressar no mercado de trabalho, é necessário se capacitar com uma formação de qualidade. Vamos entender quais as opções para quem quer se tornar um analista e desenvolvedor de sistemas? Opções de cursos Para se tornar um analista e desenvolvedor de sistemas, o aluno precisa cursar uma graduação tecnológica, também conhecida como tecnólogo.  A graduação tecnológica é reconhecida pelo MEC como uma graduação plena como quaisquer outras graduações de bacharelado ou licenciatura. Os principais diferenciais são: o tempo de curso e a especificidade dos conteúdos.  Os tecnólogos, diferentemente das graduações tradicionais, são concluídos em, no máximo, 3 anos. E tem seus conteúdos voltados para os aspectos práticos da profissão, com foco no mercado de trabalho.  Enquanto uma graduação tradicional é mais ampla, generalista e mais focada na teoria, podendo durar até 6 anos, dependendo da escolha do curso. Diferença entre curso técnico e tecnólogo Curso técnico e tecnólogo (graduação tecnológica) não são a mesma coisa. Para iniciar em uma graduação tecnológica, assim como em uma graduação tradicional, o aluno precisa já ter finalizado o Ensino Médio. Diferentemente do ingresso no curso técnico, que pode ser feito a partir do segundo ano do Ensino Médio, ou seja, não é necessário já ter finalizado. Como citado anteriormente, a graduação tecnológica ou tecnólogo, é considerado um curso de nível superior, enquanto o curso técnico é considerado de nível médio. Se quiser entender melhor a diferença entre as duas modalidades, acesse esse conteúdo. Onde cursar O SENAI é referência nacional e internacional de ensino. Com docentes especialistas providos de experiência na área, você vai ter contato direto com o DNA da indústria e com as demandas atuais do mercado de trabalho. O desenvolvimento de competências técnicas e socioemocionais também vão fazer parte da sua formação. Além disso, ter o SENAI no currículo é ter preferência na contratação pelas indústrias. Portanto, ao escolher um curso, pense na sua carreira e em onde você quer chegar. Conte com o SENAI! Conheça mais sobre o curso aqui.

Como a Educação Corporativa está transformando profissionais e empresas?
Mercado de trabalho

Como a Educação Corporativa está transformando profissionais e empresas?

16/11/2021 • 4 min de leitura

Em um cenário cada vez mais competitivo e desafiador, a Educação Corporativa — também chamada de educação empresarial— tem ganhado espaço entre as práticas adotadas pela área de gestão de pessoas nas organizações. Mas por que isso acontece? Esse formato de qualificação tem se tornado fundamental não somente para o desenvolvimento profissional individual, mas também para o crescimento das empresas em que esses profissionais atuam.  Indo muito além das capacitações específicas para uma função e do simples aperfeiçoamento de competências, a médio e longo prazo, a Educação Corporativa proporciona o aumento da vantagem competitiva para as empresas que a implementam. Quer entender o que é, como funciona e como a Educação Corporativa pode fazer a diferença no cotidiano das organizações? Neste conteúdo, você irá saber tudo isso, além de conhecer a importância dessa prática, os principais benefícios dela e conferir alguns exemplos de como ela pode ser aplicada. Vamos lá? O que é a Educação Corporativa? É uma prática de gestão de pessoas integrada com a gestão de conhecimento. Por meio dela, são desenvolvidas competências e habilidades necessárias para atingir os objetivos estratégicos das empresas e instituições.  Qual é o objetivo da Educação Corporativa? Seu principal objetivo é promover a excelência organizacional, utilizando como principal ferramenta a valorização dos colaboradores. Isso quer dizer que, a gestão de conhecimento empregada nessa prática, vai muito além de treinamentos empresariais e da qualificação de mão de obra. A educação empresarial tem seus objetivos principais sempre alinhados às metas do negócio e também é uma forma de transformar os processos internos por meio do engajamento das equipes. Ou seja, a prática permite a cada colaborador uma visão mais ampla do seu papel na empresa. Além de proporcionar um conhecimento mais contextualizado sobre as metas, objetivos e a cultura organizacional da empresa. Em consequência disso, munido das informações necessárias, esse colaborador passa a ter mais segurança e confiança para sugerir melhorias e soluções nos processos internos. Percebe como tudo isso pode contribuir para o crescimento da empresa? Para exemplificar melhor, listamos agora os principais benefícios da Educação Corporativa. Confira! Benefícios da educação empresarial As organizações, cada vez mais, têm investido no desenvolvimento dos colaboradores tendo em vista a importância do seu protagonismo no processo de elaborar e desenvolver estratégias a longo prazo. Realizando capacitações e qualificações que proporcionam um ambiente de trabalho mais amistoso e prazeroso, as organizações podem obter uma série de benefícios por meio da educação. Veja quais são eles: Colaboradores mais motivados e engajados; Aumento da competitividade e destaque entre a concorrência; Aumento da produtividade; Atração e retenção de talentos; Potencializar os processos de inovação. Ao analisar cada um desses benefícios individualmente, fica perceptível porque a Educação Corporativa tem sido a chave para o crescimento e a reinvenção de muitas empresas. Tais ganhos são essenciais diante das transformações constantes ocasionadas pelo avanço da tecnologia e a crescente demanda por inovação. Outro fator que contribui para essa necessidade são as mudanças geradas nos modelos de negócio em virtude da pandemia e suas consequências econômicas em todo o mundo. Por outro lado, para os funcionários, investir em Educação Corporativa proporciona diversos benefícios além do autodesenvolvimento, entre eles: a oportunidade de alcançar melhores cargos e salários, maior reconhecimento por parte das lideranças, maior facilidade para executar tarefas, encontrar soluções e tornar o dia a dia das equipes mais dinâmico e satisfatório.  Como funciona a modalidade? Em muitos casos, as empresas realizam parcerias com instituições de ensino, levando os cursos com exclusividade para seus funcionários, por meio de turmas fechadas. Dessa forma, os conteúdos podem ser mais direcionados, atendendo às necessidades específicas de cada organização. Como exemplo, podemos citar a Jornada de Liderança e Engajamento Digital, programa oferecido pela Educação Corporativa do SENAI/SC. Pensado e desenvolvido para capacitar trainees de liderança e  líderes corporativos, o curso promove o aprimoramento das competências dos participantes, visando elevar o nível de engajamento de suas respectivas equipes. Durante os encontros, o líder é orientado a ampliar seu autoconhecimento, através da aplicação do instrumento chamado Myers Briggs Type Indicator (MBTI). Dessa forma, a Jornada o permite compreender seu papel e sua responsabilidade enquanto gestor. O objetivo principal é aumentar o engajamento dos colaboradores, melhorar o clima organizacional e, consecutivamente, aprimorar a performance e os resultados das suas equipes.  No entanto, também é possível que qualquer pessoa capacite-se de forma individual recorrendo aos cursos oferecidos por instituições especializadas em educação profissional. Um exemplo disso é o Programa Internacional de Educação Executiva (PIEE), oferecido pelo SENAI/SC.  O programa proporciona aos participantes o acesso a técnicas, ferramentas e conhecimentos de gestão atualizados, visando a geração de novos negócios. Customizado a cada edição para atender às demandas das organizações, o PIEE possui parceria com escolas de negócios internacionais conceituadas. Entre os principais benefícios e ganhos viabilizados pelo programa estão: inovação, conhecimento global, aumento da competitividade, gestão eficiente, liderança, sustentabilidade, design, tendências e novos mercados. Por que investir em Educação Corporativa? A Educação Corporativa é uma prática cada vez mais utilizada pela gestão de pessoas devido aos diversos benefícios que proporciona. Além de promover o aumento da produtividade, da motivação e consequentemente, a competitividade das empresas, a Educação Corporativa é muito importante para o crescimento pessoal e profissional dos colaboradores. Ou seja, traz benefícios para ambas as partes! Seja para qualificar sua equipe ou ampliar os seus conhecimentos de forma individual e preparar-se para as demandas de um mercado que está a cada dia mais desafiador, você sempre pode contar com o SENAI/SC!     

Como se preparar para o ENEM? A Escola S te ajuda!
Ensino Médio

Como se preparar para o ENEM? A Escola S te ajuda!

11/11/2021 • 4 min de leitura

Se você está cursando o ensino médio, com certeza já teve a preocupação de como se preparar para o ENEM – principalmente se estiver no último ano. O momento é de muita ansiedade por ser decisivo para o futuro. Um bom planejamento é essencial para ter destaque nas provas. A hora está chegando! Em 2021, o Exame Nacional do Ensino Médio está marcado para os dias 21 e 28 de novembro e, segundo dados do INEP, mais de 3 milhões de pessoas farão a prova neste ano. Apesar de ter o menor número de inscritos das últimas 15 edições, a gente sabe que é impossível fugir do nervosismo. Não é mesmo!? Para te ajudar a se sentir mais seguro e confiante antes e durante a prova, destacamos algumas dicas importantes ao longo deste artigo. Confira! Preparação ao longo do ano A prova do ENEM é dividida em ciências humanas, ciências da natureza, linguagens, matemática e redação. O volume de conteúdos abordados é alto, exigindo uma preparação prévia dos estudantes por meio de rotinas intensas de estudo e cronogramas preparatórios. Agora, próximo à data de realização das provas, é momento de revisitar esses conteúdos para mantê-los frescos na memória. Uma boa maneira de fazer isso é por meio da realização das provas antigas, nas quais você poderá ver quais os assuntos mais frequentes e as principais formas de abordagem. Outra estratégia que pode ser adotada é manter o foco naqueles conteúdos que você tem mais dificuldade. Se os assuntos “mais fáceis” já estão dominados, não há necessidade de gastar tempo com eles. Dessa forma, você garante mais pontos na realização das provas. Lembre-se também que uma das etapas mais importantes é a redação do ENEM. Ela está sempre relacionada com assuntos que foram destaque ao longo do último ano e têm relevância social. Procure em sites de notícias aqueles temas que tiveram maior repercussão e faça uma análise detalhada dos desdobramentos. Argumentar bem sobre o assunto e sugerir soluções para os problemas são critérios decisivos para um bom desempenho! Como se preparar para o ENEM: não se esqueça da saúde mental e física Já vimos que para ir bem nas provas é preciso ter estudado bastante, mas além disso, é preciso também que você fique atento(a) à sua saúde mental e física. Então nada de se cobrar demais nesse período! Dê um tempo dos estudos e faça atividades que te deem prazer. Leia um livro, vá ao cinema e encontre-se com amigos. Essas são ótimas maneiras de se distrair e evitar pensamentos negativos. Além disso, mantenha uma alimentação saudável, pratique exercícios físicos e tenha boas noites de sono. Tudo isso interfere – e muito – para a obtenção de um bom resultado. Quando o grande dia chegar, preste atenção ao local de prova e ao horário de fechamento dos portões. Carregue com você uma garrafa d’água e um lanche leve para a realização do exame. Leve também a confiança de que irá ter um bom resultado! Está chegando no ensino médio agora? Saiba como se preparar para o ENEM desde já Se você está chegando ao ensino médio agora, temos uma dica que será valiosa! Na Escola S, o Novo Ensino Médio – reforma na estrutura de ensino brasileira aprovada pela Lei nº 13.415/2017 – já está valendo. O ajuste das escolas deve ser feito até 2022, mas por aqui já adotamos esse novo formato desde 2019. Com o objetivo de adequar a educação básica brasileira às necessidades da atualidade, que pede competências e habilidades sociais, pessoais e tecnológicas, esse novo formato coloca os próprios estudantes no centro do processo de aprendizagem. Ao fazer essa relação com a atualidade, fica mais fácil compreender os conteúdos e entender a importância deles em nossas vidas. Além disso, esse novo método de ensino vai ao encontro da proposta do Exame Nacional do Ensino Médio, que visa relacionar os conteúdos aprendidos em sala de aula com questões sociais do nosso país. Metodologia pedagógica Geekie One Se o objetivo é colocar os alunos em primeiro plano, a Escola S dá show! O protagonismo dos estudantes depende muito da possibilidade que eles têm de encontrarem por conta própria os conhecimentos que precisam e assim ter maior autonomia na trajetória educativa. Mas para isso, é preciso um bom método! Por esse motivo, a Escola S adota a metodologia pedagógica Geekie One, um modelo de educação que mescla o ensino online e o ensino presencial. O Geekie One oferece uma metodologia ativa de trabalho e com maior dinamismo que combina a tecnologia com as práticas pedagógicas. Por meio da plataforma, os estudantes têm acesso a um formato de aprendizado mais leve, prático e organizado, no qual eles mesmos determinam o ritmo de estudo. Tudo isso com o intuito de flexibilizar o currículo escolar, oferecer uma proposta mais interdisciplinar e, claro, mostrar como se preparar para o ENEM. Com a Escola S, a aprovação no ENEM é certa! O Ensino Médio da Escola S é pautado em um novo jeito de aprender e ensinar, fundamentado nas necessidades da sociedade do século XXI e do mundo do trabalho atual. Nele, cada aluno precisa ter a capacidade de se reinventar diante dos novos desafios e das diversas situações da vida. A proposta pedagógica permite que os alunos aprofundem-se na área que mais gostam, optando por umas das áreas do conhecimento do Itinerário STEAM – Artes, Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, ou ainda complementar o diploma com um Curso Técnico, por meio do Itinerário de Formação Profissional. Ficou curioso(a) para conhecer o Ensino Médio da Escola S? Acesse o site e tire suas dúvidas! Aproveite também que o período de matrículas está aberto e entre em contato com a Escola S da sua cidade  para saber mais.

Saiba tudo sobre o profissional Técnico em Edificações
Cursos Técnicos

Saiba tudo sobre o profissional Técnico em Edificações

08/11/2021 • 3 min de leitura

Os profissionais multifuncionais estão cada dia mais em alta e o Técnico em Edificações é um deles. Presente em todas as fases de uma obra, da fundação ao acabamento, esse profissional, em geral, precisa ter um perfil organizado, detalhista, de fácil trabalho em equipe e é claro, com certa aptidão para a matemática. Segundo o Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, elaborado pelo SENAI, o setor está no topo da lista das 13 áreas com maior demanda de trabalho nos próximos anos. Segundo o estudo, será necessário a qualificação de mais de três milhões de profissionais para ocuparem o mercado de trabalho na área. Mas então, o que faz um Técnico em Edificações? O Técnico em Edificações é responsável por gerir e acompanhar todo o processo de uma obra. Isso quer dizer que esse profissional vai garantir que a execução da obra saia exatamente como o projeto elaborado. O Técnico em Edificações: Calcula orçamentos Estabelece prazos e cronogramas Negocia, orienta, especifica, solicita, recebe e testa materiais Coordena o andamento da construção de acordo com as normas de saúde e segurança do trabalho Faz levantamento fotográfico Desenvolve, implementa, revisa e controla documentos: manuais, políticas, fluxogramas e documentos técnicos Entre outras funções que variam de obra para obra. Sempre garantindo o sucesso da equipe e das atividades necessárias para que o processo siga sem erros ou atrasos. Ainda, o Técnico em Edificações pode ser o responsável, ou seja, assinar projetos estruturais, hidrossanitários e elétricos de edificações com, no máximo, 80m². Onde trabalha o Técnico em Edificações O Técnico em Edificações é um profissional amplamente procurado pelo mercado de trabalho, portanto, tem ótimas oportunidades de emprego. Pode atuar tanto em empresas privadas quanto em órgãos públicos. Sua atuação vai do escritório ao canteiro de obras, podendo fazer parte de equipes em escritórios de engenharia ou arquitetura e também em construtoras. Ainda, pode trabalhar em fábricas de pré-moldados, indústrias de materiais de construção, empresas de reforma e laboratórios de ensaios de materiais para controle de qualidade. Como se tornar um Técnico em Edificações Para se tornar um profissional Técnico em Edificações não é necessário graduação e sim curso técnico, mas isso não quer dizer que o processo é simples. Isso porque, a grade curricular do curso costuma ser bastante exigente. Normalmente, são dois anos de curso, e a carga horária é dividida entre aulas teóricas e práticas.  Ao se formar, o profissional deve buscar o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA) da sua região e se filiar, para exercer a profissão em todo o território nacional. Salário do Técnico em Edificações De acordo com uma pesquisa realizada pelo site salario.com.br, juntamente com dados oficiais do Novo CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), eSocial – sistema informatizado da Administração Pública do Governo Federal – e Empregador Web – plataforma desenvolvida pelo Ministério do Trabalho e Emprego também do Governo Federal -, o salário do Técnico em Edificações, no Brasil, é de, em média, R$ 2.759,15, para trabalhar 43 horas semanais.  A faixa salarial fica entre R$ 2.250,41 e R$ 5.875,32. Grade Curricular do curso Técnico em Edificações do SENAI Comunicação e Informática Introdução a Construção de Edifícios Leitura e Interpretação de Projetos Qualidade, Saúde, Meio Ambiente e Segurança Desenho Técnico de Edificações Fundamentos de Mecânica dos Solos Fundamentos de Topografia Gestão de Pessoas Processos Construtivos Materiais e Ensaios Tecnológicos Pré-projeto I Projeto Arquitetônico Projeto Estrutural Projetos de Instalações Elétricas Projetos de Instalações Hidrossanitárias Documentação Técnica e Legalização de Projetos Pré-projeto II Projeto Executivo Orçamento de Obra Planejamento e Gestão da Produção Projeto de Pesquisa e Inovação Como escolher o melhor curso? O curso Técnico em Edificações do SENAI é um dos mais reconhecidos no país. O SENAI foi apontado pela ONU como uma das principais instituições educacionais do hemisfério sul. Além disso, as possibilidades de conseguir um emprego logo que você terminar o curso são grandes, pois os alunos do SENAI são preferência em contratação nas indústrias. Além disso, 8 em cada 10 ex-alunos de cursos técnicos do SENAI estão empregados. Para iniciar o curso Técnico em Edificações do SENAI, é necessário estar cursando a partir do 2º ano ou já ter concluído o Ensino Médio. Quer receber um conteúdo gratuito sobre o Curso Técnico em Edificações? Clique aqui!