Conheça os 4 top cursos de Pós-Graduação em Alimentos
Pós-graduação

Conheça os 4 top cursos de Pós-Graduação em Alimentos

3 meses atrás • 3 min de leitura

Apesar do crescimento da tecnologia e do desejo contínuo por conveniência, os clientes buscam por uma experiência personalizada quando fazem compras ou cozinham. Por isso, o que nos reserva no futuro são mais opções e serviços para as pessoas personalizarem seus alimentos. A inovação culinária será desafiar o que ainda não foi feito para permanecer relevante com as necessidades alimentares dos clientes em constante mudança. Tecnologia, conveniência e personalização estão interligadas na indústria de alimentos. Para os próximos anos, você pode esperar que a tecnologia continue a desempenhar um papel importante, já que os consumidores também continuarão exigindo alimentos convenientes, mas com um toque pessoal.  Vamos saber o que o futuro nos reserva para a área de alimentos? O futuro da indústria de alimentos Com a contínua mudança da economia e mercados globais, é provável que várias tendências impactem sobre como e o que as pessoas comerão nos próximos anos. Tecnologia, conveniência e personalização são algumas das principais tendências que afetarão o consumo.  As pessoas estão mudando a maneira como comem, cozinham e compram seus alimentos, e a tecnologia é uma das principais razões por trás disso. Ela influencia diretamente no comportamento dos consumidores. Manter grandes estoques de mantimentos já não é mais viável, o foco é no reabastecimento imediato com base nas necessidades, graças ao e-commerce. A busca por conveniência se potencializará. Os consumidores desejam alimentos fáceis de preparar, mas sem sacrificar o sabor e a qualidade. O futuro da alimentação girará cada vez mais em torno da tecnologia em um esforço para atender à necessidade de conveniência. A indústria de food service continuará a evoluir para atender às preferências dos clientes.  Quais vantagens uma pós-graduação traz para o meu currículo? A indústria tem buscado cada vez mais profissionais pós-graduados. Dependendo do cargo, possuir um MBA ou uma especialização é uma exigência. Mas mesmo quando a qualificação não é um pré-requisito, ela pode ser um grande diferencial no seu currículo. A mão de obra especializada é uma necessidade de todos os setores. E o papel do líder especialista ganhou importância. É esse profissional que planeja, organiza e alinha as tarefas estrategicamente, fazendo a equipe trabalhar unida. Conheça algumas vantagens que a pós-graduação trará para o seu currículo: Aquisição de novos conhecimentos Fortalecimento do currículo Empregabilidade Grandes oportunidades de promoção de cargo Aumento de salário Ampliação da rede de contatos (networking) Exploração de novos segmentos de mercado Portas abertas para o empreendedorismo Ser especialista em uma área atraindo novos negócios Ingresso na área acadêmica  Pós-graduação em alimentos: conheça os 4 melhores cursos na área Pensando no futuro e no sucesso contínuo do profissional que deseja atuar na indústria, em laboratórios de análises e pesquisas, além da docência, a Faculdade SENAI criou os 4 Top cursos EaD em pós-graduação em alimentos. Conheça mais sobre eles agora e encontre o ideal para você! 1. Pós-Graduação em Gestão Estratégica da Qualidade e Food Safety O curso de pós-graduação em Gestão Estratégica da Qualidade e Food Safety da Faculdade SENAI possibilita que o profissional possa atuar ativamente nas empresas ao utilizar-se estrategicamente das ferramentas de gestão, tornando-as mais competitivas no mercado atual. Além disso, o curso também prepara os profissionais para atender às mais exigentes normas de segurança de alimentos, com destaque a um  diferencial: a qualidade. Ao longo das aulas, o pós-graduando desenvolve as competências profissionais e pessoais necessárias para o exercício de atividades ou funções típicas requeridas pelo trabalho. 2. Pós-Graduação em Gestão e Inovação na Indústria de Alimentos O curso de pós-graduação em Gestão e Inovação na Indústria de Alimentos foi criado para desenvolver profissionais com competências fundamentais para o setor.  Assim, os egressos saem capacitados para agir com efetividade, acompanhando as mudanças constantes no comportamento do consumidor.  Dessa forma, os profissionais podem atender às necessidades emergentes do segmento de alimentos e bebidas, desenvolvendo produtos através de tecnologias inovadoras e sustentáveis.  Além disso, os conteúdos abordados ao longo do curso também aprofundam a percepção de conceitos modernos de gestão em administração industrial, bem como das atividades integradoras competitivas. 3. Pós-Graduação em Inovação na Indústria Láctea O curso especializa profissionais na aplicação e desenvolvimento de tecnologias inovadoras na indústria de laticínios, conectando-os às novas tendências do mercado. Dessa forma, os profissionais saem capacitados para atuar na área da pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, além do gerenciamento de processos do segmento lácteo. A pós-graduação também prepara o profissional para atuar na otimização de processos, na qualidade e na sustentabilidade dos produtos lácteos.  4. Pós-Graduação em Análises Laboratoriais de Alimentos e Bebidas Atendendo os requisitos da NBR ISO/IEC 17025:2017, a pós-graduação em Análises Laboratoriais de Alimentos e Bebidas desenvolve profissionais especializados em metodologias tradicionais e inovadoras para realizar análises em alimentos e bebidas. Implantando normas nacionais e internacionais e atendendo os requisitos necessários para o reconhecimento junto aos órgãos reguladores.  Além disso, o profissional pós-graduado é apto a contribuir na melhoria contínua dos processos produtivos, aplicando inovações tecnológicas e proporcionando avanços de métodos laboratoriais. Assim, os egressos podem atender às demandas por aumento na produtividade, precisão e agilidade na emissão de resultados. Se interessou pelos nossos cursos de Pós-graduação? Então, venha aprender com quem mais entende da indústria! Conheça os cursos de Pós-graduação em alimentos da Faculdade SENAI e matricule-se!

Lean Manufacturing: o que é e como funciona
Curta Duração

Lean Manufacturing: o que é e como funciona

3 meses atrás • 5 min de leitura

Aplicado por muitas empresas que visam aumentar sua produtividade e reduzir desperdícios, o Lean Manufacturing, conhecido no Brasil como manufatura enxuta, é um modelo de gestão desenvolvido pela Toyota, em 1950. Focada em eliminar as etapas de produção que não agregam valor aos processos, e principalmente, aos clientes, a produção enxuta transformou a realidade da Toyota e a tornou referência em Lean Manufacturing. E não para por aí. Muitas empresas de sucesso mundial também mudaram o jeito de pensar os seus processos através da produção enxuta, obtendo diversos resultados. Afinal, a alta competitividade do mercado exige a eliminação de desperdícios e o aumento da qualidade e produtividade. Diante de tudo isso, você deve estar se perguntando: como o Lean Manufacturing funciona na prática? Como aplicá-lo à realidade da minha empresa? Neste texto, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre o Lean Manufacturing, desde a motivação do seu surgimento, até como implementá-lo no seu empreendimento. Boa leitura! Como surgiu o Lean Manufacturing? Para entender o surgimento dessa filosofia, precisamos compreender o seu contexto. Após a 2ª Guerra Mundial, o Japão precisou se reconstruir social, política e economicamente. Diante desse cenário, a indústria apostava na produção em massa para dar conta da demanda que era enorme para muitos segmentos, como a construção civil, confecções e a indústria automobilística. Contudo, a produção em massa para fabricar transportes demandava alto investimento financeiro e de espaço físico para estocar os automóveis. Além disso, era pautada na concepção do mesmo produto em grande escala. Ou seja, a produção em série não era vantajosa para a indústria automobilística. Foi aí que a Toyota inovou com um novo sistema produtivo, o Sistema Toyota de Produção (STP), conhecido hoje como Lean Manufacturing. Nesse novo processo de produção não havia mais a necessidade de altos estoques, o que mantinha o fluxo curto e o foco na eficiência da produção, sem abrir mão da qualidade. Se deu certo? Não só a Toyota adotou o sistema de produção enxuta, mas também diversas empresas dos mais variados segmentos em todo o mundo. Inclusive, a metodologia está mais atual do que nunca e tem forte presença no mercado. Os princípios do Lean Manufacturing Entre os principais objetivos da manufatura enxuta, estão: a melhoria contínua; a redução de custos; a agilidade na produção; a maior capacidade produtiva; e aplicar melhorias no ambiente de trabalho para os colaboradores. Para que esses objetivos sejam atingidos existem 5 princípios básicos, através dos quais é possível aplicar o Lean Manufacturing. Conheça: Valor O valor do seu produto ou serviço é definido sob o ponto de vista do cliente. Para isso, é preciso definir quais são as atividades que agregam valor ao produto e o cliente está disposto a pagar a mais por isso (por exemplo, o que torna o seu produto a melhor escolha); as atividades essenciais para a entrega do produto, mas que não agregam valor a ele (como por exemplo, as funções administrativas); e por último, as atividades que além de não agregarem valor para o cliente, podem ser eliminadas dos processos. Fluxo de valor Após definir o valor do seu produto, é possível mapear as atividades indispensáveis desde a concepção do projeto e seu lançamento no mercado, como também as atividades do fluxo produtivo, que vão desde a matéria-prima até a entrega ao público-alvo. Com o mapeamento dessas atividades, é possível visualizar os processos de forma macro e identificar os desperdícios em todo o fluxo de valor do seu produto ou serviço. Assim, são levantadas as fragilidades e os pontos fortes da sua empresa. Para te ajudar a fazer essa análise, o fluxo de valor é composto por: fluxo de informações, materiais e de pessoas. Fluxo contínuo Com o fluxo contínuo a produção evita interrupções e segue o ritmo da demanda. Assim, reduz o tempo de espera entre as atividades e entrega com mais rapidez para o cliente. Produção puxada Diferente de uma produção empurrada, onde a demanda é produzida para depois ser vendida, o que gera estoques, na produção puxada o produto será fabricado a partir da demanda do cliente. Ou seja, a partir do pedido é que o produto será produzido, evitando a produção em excesso e o acúmulo de estoques.  Perfeição Além de reduzir os desperdícios, o foco do Lean Manufacturing está no compromisso do controle de qualidade para oferecer o melhor produto possível. Reduzindo os desperdícios que não agregam valor ao seu produto para o cliente, sua empresa foca nos pontos fortes para entregar o melhor. Os 8 desperdícios Como você viu, reduzir o desperdício dos processos que não agregam valor para os clientes é um dos maiores objetivos do sistema de produção enxuta. Mas, quais seriam esses desperdícios?    - Transporte: tempo perdido com a logística ineficiente dos processos, produtos e estoque.   - Estoque: armazenar produtos em excesso significa dinheiro parado.   -  Movimentação: diz respeito ao deslocamento dos colaboradores que poderiam ser evitados.   - Espera: desperdício de tempo quando ocorrem pausas no trabalho, seja por problemas técnicos, documentos a espera de assinaturas ou funcionários ociosos.   -  Produção excessiva: produzir além do que o cliente precisa.   - Processo desnecessário: produzir além do necessário para os processos, como relatórios que nunca serão lidos.   - Defeitos: produtos que não serão aproveitados, ou processos que precisam ser refeitos.   - Conhecimentos: desperdiçar o conhecimento e capacidades dos colaboradores.   Ferramentas do Lean Manufacturing  Até agora, passamos pelo básico da teoria do sistema enxuto, mas na prática, como ele funciona? Existem algumas ferramentas que foram desenvolvidas para alcançar os resultados previstos: menos desperdício e mais qualidade. Quais ferramentas implementar vai depender do perfil e objetivos da sua empresa, mas é importante que elas façam parte da cultura da organização. A filosofia Lean deve ser praticada por todos os colaboradores e envolvidos nos processos para que, de fato, gere resultados. Métricas Lean As métricas fornecem dados concretos sobre o desempenho dos seus fluxos, seja com relação a produtividade ou eficiência dos processos. Alguns indicadores a se observar: Cycle time (tempo para executar determinada atividade); Lead time (tempo utilizado desde o início da cadeia produtiva até a entrega do produto para o cliente); Throughput (quantidade de produtos produzidos em um período x). É importante não colocar muita ênfase em apenas uma métrica. Otimize seu fluxo de trabalho focando em diferentes indicadores. 5S O 5S consiste em práticas para aplicar no ambiente industrial que estimulam a melhoria contínua de acordo com a cultura Lean. O método remete às iniciais de 5 palavras japonesas: os 5 sensos.  - Seiri (Senso de utilidade): Diz respeito a utilização correta dos materiais. - Seiton (Senso de organização): Refere-se a boa disposição e ordem das ferramentas de trabalho, para que sejam acessadas com facilidade e rapidez. - Seiso (Senso de limpeza): O ambiente de trabalho deve ser higienizado e organizado diariamente. - Seiketsu (Senso de padronização): Incentivar os bons costumes para que sejam padrões e façam parte da cultura da empresa e dos seus colaboradores. - Shitsuke (Senso de disciplina): O 5S precisa ser vivido diariamente, para isso, é preciso dedicação e repetição constante das práticas. Kanban O sistema Kanban sinaliza e controla os fluxos de produção através de uma gestão visual dos processos. Começou com cartões de papelão e hoje já compõem sistemas automatizados. Mas, independente da sua forma, o Kanban é um dispositivo usado para indicar quando há necessidade de produção de um produto ou compra de determinada matéria-prima. Ou seja, mantém a comunicação entre as etapas de produção, para que seja produzida a quantidade certa, no momento certo.  Kaizen A filosofia Kaizen consiste na melhoria contínua. Só o esforço contínuo da equipe proporciona o aumento da produtividade e redução dos custos. Assim, todos os colaboradores devem se envolver para alcançar as melhorias previstas.  Total Productive Maintenance (TPM) Sistema que visa prever as causas de possíveis falhas nos equipamentos, reduzindo as paradas e minimizando os custos. A manutenção preventiva nas máquinas potencializa o seu uso e previne acidentes.  Essa foi uma breve introdução sobre algumas ferramentas, mas existem muitas outras e todas elas abrem caminhos para diferentes implementações do sistema de manufatura enxuta na organização.  Que empresa não busca se destacar no mercado? Saber implementar técnicas que otimizem os processos e entregue maior valor agregado ao cliente, enquanto reduz desperdícios da cadeia produtiva, elevará o nível da sua carreira profissional e o SENAI pode te ajudar. Conheça os cursos de formação na metodologia Lean Manufacturing, disponíveis nas modalidades Pós-Graduação, Cursos Rápidos e Extensão Profissional.

Conheça os tecidos inteligentes e a sua aplicabilidade na moda
Graduação

Conheça os tecidos inteligentes e a sua aplicabilidade na moda

3 meses atrás • 3 min de leitura

Os tecidos inteligentes estão inseridos no presente e no futuro da moda, unindo tecnologia, design, conforto e sustentabilidade. Essas tecnologias,  aplicadas ao vestuário, são conhecidas como “roupas inteligentes”. Elas atribuem alto desempenho aos têxteis e diferentes funcionalidades capazes de responder aos estímulos do meio ambiente de forma mais benéfica ao usuário. Enquanto respostas a estes estímulos variam em seu volume, cor e forma, entre outros aspectos.  Além disso, os tecidos inteligentes na moda também podem contribuir com a sustentabilidade na cadeia produtiva. Podemos dizer que o seu uso vai além do vestir, trazendo bem-estar, saúde, conforto e redução nos impactos ambientais.  Como exemplos de tecidos inteligentes podemos citar: Proteção contra os raios ultravioletas; Inseticidas que evitam o contato de insetos com a pele humana; Antimicrobianos que previnem a proliferação de doenças causadas por bactérias e fungos; Antialérgicos; Monitoramento da frequência cardíaca. Tecnologias inovadoras aplicada aos têxteis Entre as tecnologias inovadoras aplicada aos têxteis estão a nanotecnologia, a inteligência artificial e a biotecnologia: A nanotecnologia Primeiramente, essa tecnologia manipula matérias numa escala manométrica de átomos e moléculas. Os ativos são encapsulados, dando origem às nano partículas que, posteriormente, aplicadas aos têxteis, dão origem a novas funcionalidades. Há diversas aplicações dos tecidos inteligentes na moda que vão desde as nano partículas de prata com propriedades antibacterianas, passando pelo combate à celulite, relaxamento de dores musculares, conforto térmico até as nano partículas auto reparadoras. A marca Imperial Motion desenvolveu um projeto com nylon auto reparável, com a utilização da Nano Cure Tech. Esta tecnologia permite uma recuperação instantânea. O tecido (nylon especial de peso leve resistente à água) se reconstrói quanto perfurado. Esta recuperação é acionada ao fazer uma pequena fricção com os dedos para que o furo desapareça.  A inteligência artificial Nesse caso, os dispositivos eletrônicos são incorporados nas roupas com a integração de um “micro-chip”, atribuindo soluções eletrônicas inteligentes, também chamadas de “wearables” (dispositivo vestível). Integrados às roupas, esses chips transmitem dados via GPS ou celular. A marca Levi's, com a colaboração da Google, criou a jaqueta touch Commuter Trucker Jacket, resultado do Project Jacquard.  Voltada ao público ciclista, a jaqueta inteligente conecta-se com os aplicativos do celular como: Google Maps, Waze, Spotify, entre outros. Além disso, o dispositivo é capaz de atender às chamadas durante a pedalada. A transmissão é feita via bluetooth, por meio dos fones de ouvido. A tecnologia é aplicada na manga da jaqueta e é acionada quando tocada. A biotecnologia A biotecnologia é uma das grandes descobertas científicas aplicadas à moda, especialmente no quesito sustentabilidade, pela sua contribuição na redução dos impactos ambientais. Utilizada para a produção de novas matérias primas com aplicação no desenvolvimento dos chamados "bio tecidos" e também na técnica de tingimento.  Além disso, os biotecidos são biodegradáveis, produzidos a partir de materiais biológicos como: papel vegetal, folhagens e micro-organismos vivos (colônias de fungos e bactérias). Um dos exemplos é o tecido Mylo, desenvolvido pelo companhia norte-americana Bolt Threads,  produzido a partir de fungos e com aparência semelhante ao couro.  Novas possibilidades trazidas pelos tecidos inteligentes na moda Outro exemplo de bio tecido é o projeto de pesquisa BioCouture (Bio Costura em tradução livre) que produz roupas inovadoras e ecológicas com o desenvolvimento de tecidos cultivados a partir de micro-organismos vivos. À frente dessa pesquisa está a designer de Moda Suzanne Lee. Ela criou alguns produtos a partir do bio tecido como: camisas, saias, jaquetas e sapatos. Sua experiência com o projeto, pode ser conferida no TED Talk em que ela apresenta o processo de desenvolvimento das roupas.   Sobretudo, os tecidos inteligentes na moda apresentam uma das perspectivas de inovação para a indústria 4.0, especialmente na integração entre conforto, design, bem-estar, sustentabilidade e no atendimento das necessidades dos usuários.  Conforme os dados publicados pelo Markets and Markets, a perspectiva de crescimento de tecnologias vestíveis, no mercado global, é de US $116,2 bilhões em 2021 para US $265,4 milhões em 2026. Dessa forma, os avanços tecnológicos na utilização de nanotecnologias, biotecnologias e inteligência artificial em novos produtos demonstram-se um mercado promissor. Tudo isso alinhado à satisfação das demandas de um novo consumidor que espera outras funcionalidades da roupa, além do vestir. Outro ponto de destaque é o diferencial competitivo que essas tecnologias proporcionam. Atualmente, as indústrias brasileiras têm grandes concorrentes internacionais e os tecidos tecnológicos destacam-se como um atributo de valor percebido. Nesse sentido, o desafio atual na popularização de seu uso é torná-los acessíveis financeiramente e viáveis em termos de produtividade.   Venha fazer parte desse universo! Conheça os cursos de graduação, pós e extensão profissional do Centro Universitário SENAI Blumenau. Somos uma verdadeira referência na indústria da moda! Leia também: Conheça 3 tipos de graduação no Brasil e seus benefícios

Como fazer gráfico no Excel? Aprenda com o passo a passo
Curta Duração

Como fazer gráfico no Excel? Aprenda com o passo a passo

4 meses atrás • 3 min de leitura

O Excel é um recurso da Microsoft muito utilizado para avaliar desempenhos no ambiente corporativo. Em algumas áreas da organização ele faz parte da rotina diária, como por exemplo, a administrativa.  Com essa ferramenta, é possível criar gráficos e relatórios gerenciais importantes para direcionar as tomadas de decisões. Isso porque, os gráficos possibilitam analisar visualmente dados apresentados em números. E isso os torna mais fáceis e práticos de interpretá-los. Portanto, se você ainda não sabe como fazer gráfico no Excel, está no lugar certo. Vamos te ensinar o passo a passo para criar os gráficos mais utilizados. Confira! Como fazer gráfico no Excel? Para iniciar, você precisa considerar que todo gráfico é gerado a partir dos dados de uma planilha - por planilha, podemos entender tabela. Sendo assim, é muito importante que a sua base de dados esteja devidamente organizada, pois é a partir dessas informações que o gráfico será criado. Para a maioria dos gráficos você pode distribuir os dados em linhas ou colunas, os chamados eixos X (disposto na horizontal) e eixos Y (vertical). Na prática, você vai organizar seus dados em uma tabela no Excel e a partir deles criar o gráfico adequado para ilustrar as informações e apresentar os resultados com facilidade.  Quais são os gráficos mais utilizados no Excel? Existem diferentes formatos de gráficos disponíveis para trabalhar no Excel e você fará a escolha do que melhor se enquadra com os seus objetivos. Mas, alguns modelos são os mais usados e provavelmente você já teve contato com eles. Veja quais são os gráficos a seguir:  Gráfico de pizza  Nesse modelo, também conhecido como gráfico de setor, os dados são apresentados em setores, como se fossem fatias de pizza, que juntos formam o todo, ou seja, 100% dos dados.  É um gráfico muito utilizado para dados qualitativos nominais. Mas quando existem muitas variáveis ele não é indicado, já que para sua leitura ser fácil é preciso visualizar o contraste entre as fatias. Nesse sentido, para dados com mais de 5 informações diferentes ele não é a melhor opção. Confira o exemplo: Gráfico de linhas O gráfico de linha é uma ótima escolha quando o objetivo é acompanhar dados em um determinado período de tempo. Ele permite analisar o crescimento diário de um dado e compará-lo em períodos, por exemplo.  Assim como as tabelas, ele é organizado em eixos X e Y.   Confira o exemplo: Gráfico de colunas Esse modelo é um dos mais populares, isso porque sua leitura é de fácil compreensão, tornando-o muito prático. Também é útil para apresentar a evolução dos dados com relação a intervalos de tempo, como o gráfico de linhas. Além disso, permite trabalhar com  diferentes categorias de informações, inclusive subcategorias. Veja o exemplo abaixo: Gráfico de barras  O gráfico de barras é geralmente associado ao gráfico de colunas, pois apresenta características semelhantes. Ele é muito utilizado para visualizar dados divididos em grupos ou subgrupos.  A única diferença entre os gráficos de barras e gráficos de colunas consiste no seu eixo. O gráfico de barras pode ser construído sob o eixo X ou Y. Enquanto o de colunas é construído necessariamente sob o eixo X, horizontal. Aqui temos um exemplo de gráfico de barras feito a partir da mesma planilha do exemplo anterior, no gráfico de colunas. Passo a passo de como fazer gráfico no Excel Agora que você já sabe quais são os modelos de gráficos mais utilizados e as suas características, chegou a hora de fazer o seu próprio gráfico no Excel!   Com a planilha e os dados organizados, vamos dar início a criação do gráfico: Selecione os dados da sua planilha;  No menu superior, clique em Inserir > Gráficos recomendados;   Agora, você deve selecionar o gráfico desejado para que o Excel possa criá-lo a partir dos dados da sua planilha. Pronto! Fácil, né? Edite as informações de acordo com a sua preferência. Tem interesse em aprender mais sobre a ferramenta? Conheça os cursos de Excel do SENAI. Disponíveis nas categorias: Excel Básico, Excel Intermediário e Excel Avançado.

A importância do ensino a distância na sociedade: entenda mais sobre a modalidade
Cursos Técnicos

A importância do ensino a distância na sociedade: entenda mais sobre a modalidade

4 meses atrás • 4 min de leitura

Nos últimos anos, uma parcela cada vez maior da população brasileira têm buscado a qualificação para conquistar um diploma e, consequentemente, uma melhor colocação no mercado. Ao encontro disso, as novas tecnologias têm facilitado o acesso à faculdade para cada vez mais pessoas,  — até mesmo aquelas que moram em regiões remotas —. Isso também tem uma grande contribuição das instituições de ensino que, ao perceber essa necessidade, têm aumentado a oferta de cursos na modalidade à distância. Mas você sabe, afinal, qual é a importância do ensino a distância na sociedade atual?  Mesmo com a popularização da modalidade, ainda há quem questione a qualidade do ensino e a verdadeira relevância da educação a distância no Brasil. Por isso, nesse conteúdo, iremos falar sobre a importância do ensino a distância na sociedade atual e as possibilidades que ele pode trazer para os estudantes. Confira! Afinal, qual a importância do ensino a distância na sociedade atual? De modo geral, podemos dizer que o ensino a distância é importante na sociedade atual, sobretudo no Brasil, por trazer melhores oportunidades aos estudantes. Mas quais seriam exatamente essas oportunidades?  Para ilustrar melhor essa resposta, vamos contar a história fictícia da Silvia. Ela é moradora da cidade de Flor do Sertão, no oeste catarinense, onde trabalhava como secretária. Mas ela queria ir além e, há muitos anos, sonhava em fazer o curso de Engenharia de Produção. No entanto, existiam vários fatores que impossibilitavam a concretização desse sonho. Além de dedicar 8 horas por dia ao seu trabalho como secretária, Silvia também tem dois filhos. Suponhamos que se ela quisesse fazer a graduação no formato tradicional, precisaria viajar todos os dias para a cidade mais próxima onde havia uma faculdade. Além do tempo dedicado aos estudos, ela gastaria tempo e dinheiro para se locomover. Isso, consequentemente, significaria passar menos tempo com a família.  Você já pode imaginar que, certamente, esse foi mais um motivo que pesou, e muito, no momento em que a Silvia decidiu não fazer um curso presencial. Ela conseguiu realizar esse sonho apenas quando o curso passou a ser ofertado na modalidade à distância. Um tempo depois de se formar, ela conseguiu um emprego que oferece uma remuneração muito melhor do que a anterior. Isso certamente irá impactar positivamente na sua qualidade de vida e, consequentemente, no acesso à educação para os seus filhos, trazendo ainda mais oportunidades para as próximas gerações da sua família. Assim, você começa a perceber como a popularização da educação faz a diferença na vida não só do estudante, mas também impacta em diversas outras esferas que sequer imaginamos. Os benefícios do ensino a distância para o estudante Tempos atrás, fazer uma pós ou graduação sem precisar sair de casa era uma realidade muito distante para a maioria dos estudantes brasileiros, seja pela falta de infraestrutura tecnológica ou pelas poucas opções de cursos EaD.  Hoje, além de o ensino a distância ser uma realidade, também já conquistou a preferência de grande parte dos estudantes. Veja alguns benefícios de um curso de graduação a distância! Mais possibilidades no acesso à educação Há alguns anos, quando o acesso à internet era mais escasso, parecia praticamente impossível que a Silvia, morando em uma cidade tão pequena e distante dos grandes centros urbanos, pudesse ter aulas com professores de qualquer parte do Brasil e em uma instituição de ensino renomada. Por isso, quando falamos da importância do ensino a distância na sociedade atual, uma das suas vantagens mais explícitas é tornar o acesso à educação de qualidade uma realidade para pessoas que, por qualquer que seja a razão, não podem cursar a modalidade presencial.  Esse aumento de possibilidades também conferiu uma liberdade de escolha maior para os estudantes. Isso não só pela diversidade maior de cursos ofertados, mas também por tornar possível optar entre um número maior de instituições de ensino. Além disso, outro fator que contribui para que o EaD seja mais procurado é o valor das mensalidades. Nessa modalidade, as parcelas costumam ser menores do que as dos cursos presenciais. Afinal, os custos que a instituição precisa repassar aos alunos são menores. A recolocação ou a progressão no mercado de trabalho Lembra da Silvia? Há 15 anos, ela sequer cogitaria mudar de área. Pois, existiam muitos obstáculos, como a falta de tempo e a distância, que tornavam esse movimento muito difícil ou impossível de ser feito. Assim, trocar de área e mudar de carreira eram práticas pouco comuns e bastante desencorajadas. Graças ao EaD, a realidade hoje é diferente. Consegue perceber a importância do ensino a distância? Outra vantagem que não podemos deixar de citar em relação ao mercado de trabalho é o networking (rede de contatos profissionais). Sim, ele também pode ser construído em um curso a distância. E o melhor: pode lhe conectar com os melhores professores e pessoas de qualquer parte do Brasil e, por que não, do mundo?  Com a pandemia, criar relacionamentos (pessoais e profissionais) exclusivamente através do meio virtual tornou-se um hábito comum, até mesmo para as pessoas que, antes, não eram muito fãs dessa ideia. Assim, o EaD acaba se tornando mais uma chance de aumentar a sua rede de contatos, o que também aumenta suas possibilidades de recolocação no mercado. Flexibilidade A possibilidade de escolher o local e o horário dos estudos é um grande diferencial do ensino a distância. Assim como a Silvia, milhares de brasileiros e brasileiras possuem as rotinas divididas entre trabalho, afazeres domésticos, família, lazer e muitas outras atividades. Para essas pessoas, perder tempo não é uma opção viável. Agora, quando a Silvia pode estudar de sua casa e ainda escolher o horário em que iria fazer isso, o sonho de fazer uma graduação tornou-se possível! Autonomia Outro ponto que não podemos deixar de fora dos benefícios do ensino a distância é a autonomia que os alunos da modalidade possuem, muito diferente do padrão aplicado nas salas de aulas tradicionais.  Porém, se engana quem acha que isso torna o EaD mais simples ou mais fácil do que o ensino presencial. Nele, é preciso mais do que acompanhar as aulas e, por isso, a disciplina e a responsabilidade são fundamentais. O lado positivo disso é que ao levar os estudos a sério, o aluno desenvolve essas duas habilidades que, atualmente, são fundamentais no mercado de trabalho: a autonomia e a organização. O avanço dos recursos tecnológicos no ensino a distância  Ao entendermos a importância do ensino a distância na sociedade atual, percebemos que os avanços da tecnologia foram os grandes contribuintes para o seu desenvolvimento. Com a transformação das metodologias e a modernização das plataformas de ensino, acompanhar as aulas tornou-se uma experiência cada vez mais dinâmica, eficiente e completa.  Muitas vezes, no ensino EaD, os alunos têm acesso a mais recursos do que teriam no formato presencial. Realidade aumentada, realidade mista e realidade virtual são alguns exemplos disso. O EaD vem conquistando espaço e credibilidade, permitindo que muitas pessoas invistam na sua educação, transformando não somente as suas vidas, mas também a de seus familiares.  Se você está buscando qualificação profissional, chegou a sua hora! Conheça os cursos EaD do SENAI e dê um upgrade na sua vida e na sua carreira.   

O que é um curso técnico? Saiba tudo sobre essa modalidade
Cursos Técnicos

O que é um curso técnico? Saiba tudo sobre essa modalidade

4 meses atrás • 4 min de leitura

Muito procurado por sua formação prática e rápida, o curso técnico é uma excelente opção para quem deseja construir uma carreira de sucesso Escolher uma ocupação profissional para seguir nem sempre é fácil, principalmente se você não possui experiência no mercado de trabalho. São diferentes modalidades de ensino, áreas e cursos disponíveis. Em meio a tantas opções, é comum surgirem muitas dúvidas.  Será que um curso técnico se encaixa com os seus objetivos? Para isso, primeiramente, você precisa entender o que é um curso técnico, como ele funciona e pesquisar sobre a qualidade dos cursos oferecidos.  Preparamos esse conteúdo para te ajudar a encontrar o melhor caminho e acertar na escolha de um curso técnico que atenda às suas expectativas, proporcionando a qualificação de que você necessita. Confira!  O que é um curso técnico? A modalidade de cursos técnicos é de nível médio e foi instituída no Brasil em 1906.  Ele surgiu para suprir a demanda da indústria por capacitação profissional qualificada, influenciando no desenvolvimento e na competitividade desse setor.   A formação técnica se encaixa entre o ensino médio e o ensino superior, mas também é possível cursá-la ainda durante o colegial. Ou seja, você pode ingressar em um curso técnico assim que finalizar o ensino fundamental.  No entanto, é importante ter em mente que para receber o diploma de técnico você precisará concluir o ensino médio.  Por que fazer um curso técnico?  A principal característica desse modelo de ensino é preparar trabalhadores para o mercado de trabalho. Por isso, se você tem urgência em transformar sua carreira e ser um profissional qualificado, com um curso técnico você terá uma formação em um curto período de tempo. Em outras palavras, enquanto uma graduação tem como foco aprofundar o conhecimento em determinada área e dura, em média, 4 anos, um curso técnico é voltado para a obtenção de conhecimentos práticos em áreas específicas e tem duração de 1 a 2 anos.  Tipos de curso técnico  Os cursos técnicos fazem parte do Sistema de Ensino Brasileiro, e são divididos em 3 categorias. Elas possuem algumas diferenças que devem ser consideradas pelo aluno ao fazer a escolha do curso. Veja quais são elas: Curso Técnico Integrado Nessa categoria, o ensino médio é parcialmente substituído pelo curso técnico. Assim, o estudante conclui o ensino fundamental, o primeiro ano do ensino médio e inicia o técnico.  Ao concluir, recebe-se o certificado de conclusão do ensino médio e o diploma na formação técnica que foi cursada.  Curso Técnico Externo (ou Concomitante)  No técnico externo o estudante realizará o ensino médio e técnico em paralelo, mas separados. Por exemplo, é possível fazer o ensino médio em período diurno e o curso técnico a noite.  Quanto a certificação ela também será separada, já que as instituições de ensino não precisam ser as mesmas.   Curso Técnico Profissionalizante (ou Subsequente) Por fim, o técnico profissionalizante. Nesse caso, o estudante já concluiu o ensino médio e pode iniciar um técnico a qualquer momento. Pode, inclusive, já ter realizado alguma formação técnica e ingressar em outra. Diferenciais  Agora que você já sabe o que é um curso técnico e quais são as modalidades existentes no Brasil, vamos elencar alguns diferenciais desse ensino.  Nas últimas décadas, o acesso à educação e o ingresso em cursos técnicos no Brasil estão em constante crescimento. Por conta disso, a competitividade do mercado também aumenta e ser um profissional devidamente qualificado faz toda a diferença.    Leia também: Conheça os 7 cursos técnicos que mais empregam   Nesse sentido, fazer um curso técnico significa otimizar o seu tempo, isso porque, como você já sabe, a carga horária é reduzida se comparada a outras modalidades de ensino. Mas isso não quer dizer que a formação seja inferior. Pelo contrário, existem diversas opções de cursos técnicos com certificação de qualidade. Por isso, a dica é: antes de fazer a sua matrícula no curso, procure saber se a instituição é reconhecida e bem conceituada pelo Ministério da Educação (MEC). Assim, você estará apto para iniciar sua jornada de trabalho, sem deixar de lado a qualidade. E aqui temos outro diferencial, você terá muito embasamento teórico, sim, mas também qualificação profissional com capacitação prática, para finalizar os estudos pronto para atuar na sua área e realizar seus sonhos.  Conheça os eixos tecnológicos de um curso técnico  Todas as áreas de atuação que possuem cursos técnicos ofertados em território nacional são regulamentadas pelo Ministério da Educação (MEC). O Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, elaborado pela instituição, organiza os cursos técnicos em 13 “eixos tecnológicos” ou áreas: Ambiente e Saúde. Controle e Processos Industriais. Desenvolvimento Educacional e Social. Gestão e Negócios. Informação e Comunicação. Infraestrutura. Militar. Produção Alimentícia. Cultura e Design.  Indústria.  Recursos Naturais. Turismo, Hospitalidade e Lazer. Segurança. O diploma dos cursos técnicos é válido no exterior?  Além da validação da formação técnica em todo o território nacional, também é possível atuar no exterior. Para isso, é realizado um trâmite entre o governo brasileiro e o governo do país de destino.  Esse processo passa por determinadas etapas obrigatórias e pode levar algum tempo, bem como o processo contrário que também é possível: validar seu diploma de técnico cursado no exterior.  Ou seja, não tem desculpa para adiar seu ingresso em um curso técnico.  Para garantir bons resultados, é preciso ser assertivo ao definir a instituição que você fará seu curso técnico, afinal, estamos falando do seu sucesso profissional. Escolha o SENAI! Somos uma instituição amplamente reconhecida pelo mercado de trabalho, certificada pelo MEC, que forma profissionais altamente qualificados e referência em ensino. Confira todos os cursos técnicos disponíveis em Santa Catarina nas modalidades EaD, semipresencial ou presencial.

7 razões para acreditar que fazer um curso técnico vale a pena
Cursos Técnicos

7 razões para acreditar que fazer um curso técnico vale a pena

5 meses atrás • 4 min de leitura

Entenda por que escolher um curso técnico vale a pena para a sua carreira No cenário atual, onde os índices de desemprego estão cada vez mais altos, a capacitação técnica de qualidade é fundamental para recolocação ou entrada no mercado de trabalho. Afinal, a demanda das empresas por profissionais com especializações é uma crescente. Porém, no Brasil, ainda faltam profissionais qualificados, segundo a pesquisa “Escassez de Talentos”, da multinacional ManpowerGroup¹. Nesses casos, quem possui uma qualificação profissional é quem sai na frente. Então, se você ainda está buscando uma profissão, deseja mudar de carreira ou quer se preparar tecnicamente antes de entrar em uma universidade, continue acompanhando a matéria e entenda por que um curso técnico vale a pena. Por que vale a pena fazer um curso técnico? Entenda! A qualificação profissional é item obrigatório nos planos de quem deseja conseguir um emprego mais rapidamente. Existem diversas áreas para a formação técnica, e, geralmente, ela possui um custo mais baixo do que uma universidade, o que certamente torna este caminho ainda mais atraente.  A seguir, confira outras razões para tirar de vez a dúvida se um curso técnico vale a pena: Altas taxas de empregabilidade  Seja para crescer na empresa onde você está ou conseguir um emprego, o curso técnico é a resposta. De acordo com a Pesquisa de Egressos realizada pelo SENAI, de cada 10 alunos formados em nossa instituição, ao menos 7 conseguem emprego no primeiro ano após a conclusão do curso. Isso significa que o índice de empregabilidade fica em torno de 70%.  Além disso, os cursos técnicos ensinam as profissões na prática, preparando os alunos para encarar os desafios do mercado. Esse fato faz com que as empresas deem preferência para quem faz SENAI - afinal, além de uma infraestrutura moderna para os alunos, quem faz um curso técnico no SENAI tem atestado de excelência no exercício de suas atividades. Ensino prático  Uma das vantagens mais importantes dos cursos técnicos é a formação prática e totalmente focada nas habilidades necessárias para atender as demandas do mercado. Além de trabalhar as competências socioemocionais, fundamentais atualmente, os cursos técnicos do SENAI possuem aulas práticas em laboratório, que viabilizam a experimentação da profissão antes mesmo do(a) aluno(a) se formar. Assim, quando chegar ao mercado de trabalho para executar suas tarefas, o profissional o fará com exatidão. Modalidade EaD: mais flexibilidade para você Quem trabalha o dia inteiro ou não tem tempo para estudar, também pode se especializar com um curso técnico. Ainda mais com a pandemia, onde sair de casa não é uma opção para algumas pessoas. É por isso que, nesses casos, um curso técnico EaD ou semipresencial é a melhor opção.  No SENAI, os cursos oferecidos na modalidade a distância são: Administração, Comércio Exterior, Desenvolvimento de Sistemas, Logística, Qualidade, Segurança do Trabalho. Aqui, o aluno consegue estudar quando e onde quiser, com a certeza de uma formação a distância com a mesma qualidade que a presencial.  Progressão na carreira O curso técnico também é uma ótima oportunidade para crescimento profissional. Afinal, é como se fosse o primeiro passo rumo à universidade ou para ser notado em uma organização. No SENAI, sobram exemplos de profissionais que mudaram o rumo de suas vidas com a formação técnica.  Um caso de sucesso é o da Aline que, com o apoio incansável dos pais, conseguiu se formar no curso técnico, progrediu na carreira e continuou se especializando. Hoje, ela é estilista da Lez a Lez e roda o mundo com seu trabalho. Veja a história dela no vídeo abaixo:   Rapidez na formação Você sabe quanto tempo dura um curso técnico? Em média, a formação tem duração de 18 meses a 2 anos. Aliás, é possível acelerar ainda mais esse processo se você estiver no Ensino Médio.  Na Escola S, por exemplo, existe a modalidade de Ensino Médio Integrado - unindo a formação geral da educação básica com a educação profissional. Isso possibilita que, ao final do curso, o aluno seja reconhecido com a certificação técnica e com o diploma do ensino médio.  Ademais, se comparado a uma graduação, por exemplo, o curso técnico é uma formação mais rápida até mesmo para quem já finalizou a escola, está no mercado ou a procura de recolocação. Como o ensino é voltado para o aprendizado prático e profissional, em alguns semestres você conclui os estudos e fica pronto para voltar à ativa.  Se é SENAI, o curso técnico vale a pena! O SENAI é um dos mais grandiosos complexos de educação profissional do mundo, e é considerado, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como uma das maiores instituições educacionais do hemisfério sul. Além de ofertar milhares de cursos em todo o Brasil, é também a marca Top of Mind dos brasileiros em ensino técnico e profissionalizante. Cursos técnicos com ótimo custo benefício Sabe por que o SENAI oferece preços acessíveis e facilita o parcelamento de seus cursos? Porque acredita que a educação profissional é capaz de mudar todo o rumo de uma história e, também, da indústria brasileira. Então, para aproveitar as promoções e descontos para os cursos técnicos, acesse nosso site e confira os editais disponíveis. Metodologia e infraestrutura digital e inovadora Dia após dia, o SENAI constrói o futuro da indústria e da aprendizagem com um olhar inovador e antenado às mudanças globais. É por isso que possuímos uma metodologia única de ensino, onde o estudante é protagonista e coloca a mão na massa em projetos aplicados e reais.  Ainda, possuímos uma infraestrutura completa com laboratórios, institutos de pesquisa e inovação, além de ferramentas e sistemas digitais para o ensino à distância de qualidade. E aí, conseguiu entender por que o SENAI é a melhor escolha para a sua carreira? Então, se você está a procura de um curso técnico, não arrisque: faça SENAI. Clique aqui e confira todos os cursos técnicos disponíveis em Santa Catarina!

Venha fazer parte do Movimento Maker! Conheça as oficinas oferecidas pelo SESI/SC
Metodologias

Venha fazer parte do Movimento Maker! Conheça as oficinas oferecidas pelo SESI/SC

5 meses atrás • 3 min de leitura

A forma de aprender e ensinar já não é mais a mesma. Diante de tantas transformações tecnológicas, sociais e econômicas, novas habilidades são fundamentais no século XXI. Principalmente para quem sabe que não basta acompanhá-las, mas também estar capacitado para enfrentar desafios e ocupar seu espaço no topo do mercado de trabalho. E é nesse contexto que o Movimento Maker surgiu. Afim de estimular os alunos a participarem ativamente da construção do próprio conhecimento, nas oficinas são desenvolvidas novas competências e habilidades essenciais na vida e no mundo do trabalho.   Com a proposta de fazer os alunos colocarem a “mão na massa” e considerando a tecnologia como parte do processo e da criação, a metodologia aplicada envolve aulas de robótica, programação, IA, IoT e muito mais. No artigo abaixo, você irá entender o que é o Movimento Maker e saber o que os alunos aprendem nas oficinas oferecidas pelo SESI em Santa Catarina. Acompanhe! Entenda: o que é o Movimento Maker? Antes de mais nada, o objetivo do Movimento Maker é descrito em seu próprio nome. “Maker”, do inglês, significa “fazer”. Ou seja, a proposta desse modelo de educação é fundamentada no “fazer” ou ‘faça você mesmo’ (do it yourself). E por ser centrado em um processo criativo estrategicamente organizado, o Maker também incentiva o ‘faça com os outros’ (do with others), estimulando, dessa maneira, a autonomia e a colaboração ao mesmo tempo.  Além disso, o Maker se apresenta como uma oportunidade de construção de uma educação que incentiva crianças, jovens e adultos a serem os próprios protagonistas de seu processo de aprendizado. Isso tudo visando o desenvolvimento de competências diretamente conectadas à inovação tecnológica, habilidades emocionais de demais demandas da sociedade contemporânea.  Como a metodologia Maker é aplicada pelo SESI/SC? Valorizando a prática e a experimentação, durante as oficinas do Maker ofertadas pelo SESI/SC, crianças, jovens e adultos são estimulados a elaborar projetos, construir objetos e criar soluções para os problemas apresentados pelo facilitador. Dessa forma, os alunos constroem o conhecimento coletivamente, gerando e compartilhando novas ideias para, em seguida, colocá-las em prática e botar a “mão na massa”.  Uma proposta diferente para cada faixa etária Os programas do Maker proporcionam o aprendizado por meio de pesquisas, hipóteses, testes, interação social, problemáticas e soluções criativas, seguindo um conceito específico para cada faixa etária. Veja quais são elas:  Maker Baby (2 a 3 anos) Oficinas criadas para que as crianças tenham uma possibilidade diferente de conhecer o mundo por meio da experimentação, imaginação e convivência com outras crianças. Maker Kids (4 a 9 anos) Foco no aprendizado associado à diversão, trazendo atividades práticas, criativas e desafiadoras para as crianças. Maker Teens (10 a 17 anos) Estímulo às crianças e adolescentes a superar seus limites, explorar novas perspectivas e a descobrir suas habilidades ao mesmo tempo em que se divertem. Maker Adults (a partir de 18 anos) Potencialização de talentos, identificação de novas áreas de interesse, desenvolvimento das competências socioemocionais (as chamadas “soft skills”), oportunidade de aprendizado, troca de experiências (networking) , oficinas de libras e a possibilidade de ocupar um lugar ativo na sociedade. Espaços Maker SESI/SC Os Espaços de Educação Maker do SESI-SC são verdadeiros laboratórios de fabricação (manual e digital) inspirados em tendências contemporâneas. Além de que, as atividades são realizadas de forma dinâmica e divertida, incorporando os valores da Cultura Maker. Assim como, buscando sempre estimular a criatividade, os alunos são incentivados a explorar suas ideias elaborando projetos, protótipos e experimentos que propõem soluções criativas e inovadoras para problemas da sociedade atual e do futuro. O ambiente colaborativo dos Espaços Maker propicia novas experiências e descobertas por meio da:  Exploração; Pesquisa;  Construção; Experimentação; Aprendizado colaborativo e coletivo. Diferentemente do ambiente escolar, nos Espaços Maker não há provas, fileiras, sinal ou quadros. Os ambientes são criados em locais bastante amplos, integrados e tecnológicos que buscam aproximar os alunos e facilitadores do mundo real e dos desafios encontrados nele.  Recursos  Para oferecer experimentos educacionais e aprendizagens significativas, os Espaços Maker do SESI/SC são equipados com recursos modernos como o Arduino, Raspberry Pi, impressoras 3D e drones.  Movimento Maker: por que fazer uma oficina do SESI/SC? Desde 2017, quando o primeiro Espaço Maker foi implantado em Blumenau, a iniciativa já contribuiu para o desenvolvimento de centenas de crianças, jovens e adultos, trazendo como principais diferenciais para o seu currículo:    Inovação: os projetos inovadores criados para solucionar os desafios propostos pelo facilitador trazem uma perspectiva diferente de aprendizado; Autonomia: cada aluno atua ativamente na construção do próprio conhecimento, desenvolvendo a autonomia e o protagonismo; Competências: os alunos desenvolvem não só habilidades tecnológicas. Mas também as competências cognitivas e socioemocionais, as chamadas “soft skills”, que são cada vez mais requisitadas no mercado de trabalho; Atividades interdisciplinares: os projetos elaborados nas oficinas são resultado da união dos conceitos de ciências, tecnologia, engenharia, matemática e artes; Credibilidade: o SESI/SC é uma instituição reconhecida e possui experiência comprovada na metodologia Maker; Infraestrutura: tecnologia e docentes capacitados para conduzir cada projeto. Conheça as oficinas do Maker disponíveis* em Santa Catarina! Você pode levar o Maker para a sua escola ou empresa. E os programas podem ser customizados de acordo com a necessidade da instituição que irá recebê-los. Solicite uma proposta exclusiva. *Novas ofertas podem ser abertas de acordo com a demanda de cada região.   

Você sabe o que é um curso semipresencial? Entenda tudo sobre a modalidade
Cursos Técnicos

Você sabe o que é um curso semipresencial? Entenda tudo sobre a modalidade

6 meses atrás • 4 min de leitura

Nos últimos anos, temos observado o crescimento da oferta de cursos EaD e semipresenciais no Brasil. Isso acontece, em partes, por conta do uso das novas tecnologias de ensino e, principalmente, por ampliar o acesso ao ensino para um número maior de pessoas.  O curso presencial também é muito buscado por conta da flexibilidade, sendo uma a modalidade ideal para quem não tem a disponibilidade de se deslocar todos os dias até uma instituição de ensino para estudar, mas não quer abrir dos encontros presenciais totalmente.  Você tem dúvidas sobre o que é um curso semipresencial? Nesse conteúdo, reunimos as principais informações sobre a modalidade e os benefícios que ela proporciona para quem a escolhe. Faça a leitura e descubra se um curso semipresencial é realmente o que você procura!  Curso semipresencial: significado Semipresencial é a modalidade de ensino que tem aulas presenciais e também conteúdo para ser estudado de forma online, em casa ou onde você preferir. O curso semipresencial se trata, portanto, de um misto entre as modalidades presencial e a distância. Como funciona o curso semipresencial? A modalidade de cursos semipresenciais existe no Brasil desde 2004, quando foi autorizada pelo Ministério da Educação (MEC). Eles também são conhecidos como blended (que, em inglês, significa misturado) ou híbridos. Distribuição das aulas presenciais e online na grade curricular De acordo com o MEC, para ser enquadrado como um curso semipresencial, a grade curricular de uma graduação deve ser composta de, no máximo, 20% de horas-aula no formato a distância.  A frequência das aulas e a distribuição das mesmas ao longo dos semestres variam de acordo com os critérios estabelecidos por cada instituição. Algumas estabelecem as aulas presenciais uma vez por semana, outras até duas vezes por semana. Além disso, essa distribuição também depende do curso e de quais disciplinas são priorizadas para o EaD. Ou seja, em alguns casos, algumas disciplinas podem ser ministradas totalmente no ambiente virtual, enquanto outras são realizadas de maneira 100% presencial.  Conteúdo das aulas  As matérias são planejadas com roteiros de aprendizagem e materiais de referência, da mesma forma que ocorre nas demais modalidades de ensino. Todos os conteúdos ensinado também ficam à disposição do aluno no ambiente virtual de aprendizagem (AVA). Além de que, durante as aulas presenciais, é comum que a transmissão seja feita online com professores ministrando as aulas de outro lugar. Obrigatoriedade das aulas presenciais Embora cada instituição determine a frequência dos encontros presenciais periódicos, a presença dos estudantes neles é obrigatória. O que um curso semipresencial tem de diferente? Flexibilidade A flexibilidade do ensino semipresencial é muito buscada por quem possui um trabalho regular ou outros compromissos que impedem de frequentar as aulas presenciais todos os dias, mas não abre mão de ter contato com os professores e sentar-se em uma sala de aula.  Assim, ele oferece certa flexibilidade, mas não tanto quanto um curso 100% EaD. Por isso, a semipresencial é considerada a modalidade ideal para quem precisa de uma certa “pressão” externa para acompanhar as aulas, entregar as atividades no prazo e não acabar deixando o curso no final da sua lista de prioridades.  É importante entender também que para isso e por conta da flexibilidade que ele oferece, você precisa ter bastante disciplina, organização e autocontrole. Dessa maneira, você poderá garantir um bom desempenho e extrair tudo que o um curso semipresencial pode lhe proporcionar. Possibilidade de networking   Outro grande diferencial que as aulas presenciais periódicas oferecem é o fato de os estudantes poderem conhecer melhor os professores e demais colegas, conversando durante os intervalos e trocando experiências.  Assim, é possível começar a construir o chamado networking, ou seja, sua rede de contatos profissionais. A partir dela, você pode encontrar oportunidades de trabalho e, quem sabe, até um sócio para abrir aquele negócio que você sempre sonhou. Certificação dos cursos semipresenciais "E o diploma do curso semipresencial? Vale a mesma coisa que os outros?" Essa dúvida ainda é bastante comum. E pode ficar tranquilo(a), o diploma dos cursos semipresenciais possui a mesma validade do que o que é obtido em outras modalidades de ensino.  Assim como no EaD e no presencial, os cursos semipresenciais também precisam ser reconhecidos, credenciados e certificados pelo MEC. Inclusive, essa regra é válida para todos os cursos de ensino superior no Brasil. Por isso, ao escolher o seu curso, fique atento a essas questões, elas irão garantir o nível de qualidade do ensino naquela instituição e também a validade do seu diploma. Diversos especialistas em educação apontam os cursos híbridos como uma tendência que chegou para ficar. Afinal, hoje, o número de matrículas realizadas nas modalidades mistas e EaD já superou o índice dos cursos presenciais. Isso quer dizer que, no futuro, os cursos presenciais podem passar a oferecer mais atividades fora da sala de aula. Enquanto a educação a distância ou semipresencial, aposta cada vez mais em tecnologias e recursos para conectar estudantes e professores. Custo-benefício Você já deve ter percebido que o curso semipresencial oferece uma série de benefícios para você, não é mesmo? O custo-benefício é um dos principais, pois as mensalidades dessa modalidade costumam ser mais em conta. Como você não frequenta as aulas presencialmente todos os dias, os custos para a instituição são menores e, consecutivamente, isso também é refletido no preço das parcelas. Você está buscando uma qualificação para mudar de carreira ou se destacar no mercado? Conheça a variedade de cursos semipresenciais que o SENAI oferece desde a educação técnica até a pós-graduação e conte com a excelência da marca SENAI em seu currículo!

Ensino híbrido: o que é e vantagens para os estudantes
Metodologias

Ensino híbrido: o que é e vantagens para os estudantes

6 meses atrás • 3 min de leitura

O ensino híbrido está se tornando um dos métodos mais úteis e alinhados ao nosso momento para o aprendizado. Contudo, isso não significa que as estratégias tradicionais de ensino tenham que ser deixadas para trás. Pelo contrário: como o ensino híbrido é versátil e oferece opções flexíveis, os professores ainda podem usar muitas de suas técnicas prévias, de modo a combiná-las e adaptá-las a esse ambiente. Então, para entender de uma vez por todas o que é o ensino híbrido e quais impactos ele tem no seu processo de aprendizagem, continue lendo a matéria! O que é ensino híbrido O ensino híbrido, ou blended learning, é uma metodologia que combina atividades online e presenciais. Ela permite que os estudantes expandam sua aprendizagem, e integrem esse processo à tecnologia. No SESI SENAI, acreditamos que o método amplia a experiência do estudante, tornando-o protagonista do próprio aprendizado, além de remodelar os papeis dos docentes.  Usualmente, o ensino híbrido envolve aulas online com a mediação de um instrutor, e também atividades em plataformas tecnológicas, onde o aluno dita o próprio ritmo de aprendizagem. No blended learning, como exemplos de técnicas a serem utilizadas em sala de aula, temos: Debates Palestras Jogos Estudos de caso Simulações Ademais, o ensino híbrido usa a tecnologia online não só para complementar o processo, mas, também, para transformar e melhorar a aprendizagem. Porém, isso não significa que o professor pode simplesmente iniciar um encontro no Google Meet e dizer que está ministrando uma aula híbrida. Para que o método seja bem-sucedido, a tecnologia e a sala de aula devem estar integradas.    Vantagens do ensino híbrido para os estudantes Uma escola que adota modelos de ensino híbrido traz, sem dúvidas, uma ótima experiência para os estudantes, mas suas vantagens vão além disso. Confira: Aumenta o seu interesse Quando a tecnologia online é integrada às aulas, os alunos tendem a se interessar no assunto estudado com mais facilidade. Ao combinar técnicas como jogos e desafios práticos ao estudo da matemática, por exemplo, tira-se a monotonia de uma matéria que, antes, poderia ser extremamente tediosa para alguns perfis de estudantes. Mantém seu foco por mais tempo O envolvimento e interação que você terá, como aluno, ao utilizar recursos de pesquisa como a Internet, por exemplo, mantém o seu foco por períodos mais longos de tempo se comparado com livros ou recursos de papel. O envolvimento que a nova geração tem com essas pesquisas também ajuda a desenvolver o aprendizado por meio da exploração e investigação. Mais protagonismo para você Com o ensino híbrido, o aluno assume o controle de sua própria aprendizagem, pois precisa utilizar de seus materiais para definir metas e realizar as entregas adequadamente. Isso também os torna mais responsáveis e disciplinados. Aprenda na sua velocidade Devido à flexibilidade do ensino híbrido, o aluno consegue aprender em sua própria velocidade - e o professor, que exerce um papel de orientador/instrutor, se necessário, consegue ajudar a acelerar o processo ou dar recursos mais avançados para garantir o interesse do estudante. Prepare-se para o futuro do trabalho O ensino híbrido permite o desenvolvimento de diversas habilidades para o mundo do trabalho e para o mundo real, como competências socioemocionais, senso de responsabilidade e maior capacidade de resolução de problemas. Como funciona o ensino híbrido no SESI SENAI? [caption id="attachment_643" align="aligncenter" width="800"] CNI [/caption] A Rede SESI SENAI e a Escola S, inclusive, utilizam essa metodologia e aliam as atividades presenciais e virtuais, a partir de tecnologias educacionais como Google for Education, Meet, Geekie One e até WhatsApp e Telegram. Essa abordagem está fazendo enorme diferença no enfrentamento da pandemia do coronavírus e na promoção de aulas de qualidade, mesmo durante a crise sanitária.  Se você se interessa por metodologias inovadoras, veja também a matéria sobre metodologias ativas e descubra como elas funcionam na rede SESI SENAI.