O que é metodologia STEAM e por que você precisa conhecer

O que é metodologia STEAM e por que você precisa conhecer

Educação Básica
O que é metodologia STEAM e por que você precisa conhecer

11/08/2022 4 min de leitura

 

O termo STEAM surgiu nos Estados Unidos na década de 90 e significa Science, Technology, Engineering, Arts, Mathematics, ou seja, é uma metodologia que tem como objetivo fomentar a integração das áreas de Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática.

O que caracteriza a educação STEAM?

Partindo desse viés de integração, a metodologia é baseada em projetos. Essa metodologia tem o professor como um mediador e  o aluno como  protagonista.  

Por meio da articulação e interdisciplinaridade das quatro áreas do conhecimento (tecnologia, engenharia, artes e matemática) há  grandes  benefícios para a resolução de problemas. Isso porque se almeja o desenvolvimento do aluno não somente para o mercado de trabalho, mas também para o exercício da cidadania, para o desenvolvimento das competências socioemocionais e tudo mais que possa propiciar maior compreensão das atividades cotidianas.

Leia também ++ EJA Profissionalizante: saiba tudo sobre a modalidade

Proposta da metodologia STEAM

A metodologia STEAM tem como proposta uma aprendizagem mais ativa, participativa, que desperte o interesse dos estudantes para as áreas do conhecimento desenvolvidas.

Por se tratar de uma educação mais inovadora, ela almeja ampliar as habilidades dos estudantes, para que desenvolvam competências que permitam a resolução de questionamentos e adversidades de maneira criativa.

Por fim, também se pretende a interdisciplinaridade, ou seja, o encontro de conteúdos de áreas de conhecimento distintas para que seja possível desenvolver o pensamento crítico e também para preparar o estudante para um mercado de trabalho cada vez mais tecnológico e desafiador.

Em resumo, tornar os alunos mais pensantes e questionadores para que busquem por meio da inovação transformar os ambientes onde vivem, é um dos principais desafios e propósitos da educação baseada na metodologia STEAM.

Metodologia STEAM na prática

Como visto anteriormente, a metodologia STEAM busca utilizar ferramentas para que os alunos sejam ativos no dia a dia escolar. Uma das formas de estabelecer isso é fazer com que os estudantes mergulhem nas metodologias ativas, assim, eles se tornam os próprios produtores de conhecimento.

Afinal, o que são metodologias ativas?

As metodologias ativas são um processo amplo e envolvem diferentes práticas em sala de aula, visando desenvolver a autonomia e protagonismo do estudante em sua trajetória educativa. Nesse contexto, os alunos passam a ter um papel ativo no processo de ensino-aprendizagem, enquanto os professores atuam como mentores constantes e atentos aos caminhos que os jovens escolhem trilhar.

Tomando isso como base, as metodologias ativas têm papel fundamental no desenvolvimento do sujeito, e essas são uma das principais ferramentas da aplicação do STEAM, já que envolve a capacidade de absorção e ressignificação de conteúdos de maneira autônoma e participativa, na qual o aluno é protagonista de seu fazer discente, seja na ampliação ou na produção de saberes.

Parte-se dessa metodologia, já que se compreende que a produção do conhecimento requer não somente a leitura, a escrita e a escuta, mas também se faz por meio de discussões, da prática e do ensino/aplicação dos saberes. Que são feitas a partir de sala de aula invertida, ensino híbrido, ensino pautado em projetos, resolução de problemas, estudo de caso, gamificação e outras.

Como são as aulas com a metodologia STEAM?

A proposta que a Educação STEAM traz é o rompimento do ensino tradicional, aquele que era pautado em aulas puramente expositivas, tendo no professor a figura de detentor do saber. Em contrapartida a isso, pretende-se trazer para a sala de aula situações- problema que estão relacionadas ao dia a dia do estudante a fim de proporcionar ao educando maior consciência e protagonismo. Essa proposta permite que os conceitos se tornem mais perceptíveis e de melhor compreensão, fazendo com que o estudante identifique a aplicabilidade do que está estudando.

Tendo em vista que essa proposta vem ao encontro das diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a metodologia visa desenvolver o protagonismo do estudante para a busca do conhecimento e assim desenvolver as competências e habilidades, bem como o senso crítico. Uma forma de ensino alinhada diretamente com essa metodologia é a cultura maker, também conhecida como “faça você mesmo”, em que o estudante não espera apenas receber conhecimentos prontos vindos do professor, ele desenvolve autonomia para buscar a informação e o professor assume a função de mediador nesse processo. O desenvolvimento do protagonismo traz consigo outras habilidades como o pensamento lógico e científico, a criatividade, a curiosidade e o trabalho coletivo.

Como em uma peça de teatro em que o protagonista tem o papel de maior destaque, aqui os alunos são pessoas mais conscientes, pois sabem de seu papel agentivo, que visa não somente estar na sociedade, mas compô-la, mobilizando impactos positivos, empreendendo, provocando alterações na sociedade a fim de construir um futuro mais harmônico e sustentável.

O conjunto disso tudo, faz com que o estudante amplie sua visão em relação ao meio em que está inserido e o torne um cidadão participativo e preocupado com a coletividade, bem como, preparado para as mudanças e desafios do futuro.

Leia também ++ Ensino Médio Integrado da Escola S forma as primeiras turmas no novo modelo de educaçãoEJA Profissionalizante: saiba tudo sobre a modalidade

Como o ensino com metodologia STEAM prepara o estudante para o futuro?

Ao analisarmos as diferentes gerações da nossa sociedade identificamos que os indivíduos pertencentes às gerações mais novas são conhecidos como nativos digitais, pois já nasceram inseridos no meio tecnológico com acesso a internet, telefonia móvel e digital. Diante disso, as escolas têm o desafio de aliar esse acesso de forma fácil com o ensino de forma efetiva.

Os estudantes têm muitas ferramentas tecnológicas disponíveis para acessar e a função da escola é conduzir o uso para a produção e busca de conhecimento de forma assertiva. Como um dos vieses da metodologia STEAM é a tecnologia, isso permite que o estudante se mantenha conectado e que utilize as ferramentas disponíveis de forma consciente para o desenvolvimento e ampliação dos conhecimentos.

Com o avanço da tecnologia também em relação ao mercado de trabalho, é possível perceber a redução do trabalho braçal e repetitivo pela substituição da automação. Nesse contexto, o estudante que estiver preparado para essas profissões e com anseio de inserir-se naquelas que ainda nem existem terá mais chances de êxito, já que assim se tem mais produtividade  e reduz os custos operacionais.

Pensando em todo esse contexto, a Escola S possui a metodologia STEAM como estratégia para desenvolver um ensino de qualidade e voltado para as demandas do futuro. Para saber mais acesse o site oficial e as redes sociais e conheça esse novo jeito de ensinar e aprender.

Autoria

Francieli Delazeri  – Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas, Mestre em Ciências Ambientais, Professora de Biologia e Biohackeria.

Juliete Ilha Partichelli – Licencianda em Letras português e espanhol, Mestre em Estudos Linguísticos, Professora de Língua Portuguesa, Mídias digitais, Design Thinking e Empreendedorismo.