Análise e Desenvolvimento de Sistemas: entenda por que o curso é uma ótima opção em 2022

Análise e Desenvolvimento de Sistemas: entenda por que o curso é uma ótima opção em 2022

Graduação
Análise e Desenvolvimento de Sistemas: entenda por que o curso é uma ótima opção em 2022

18/11/2021 3 min de leitura

 

Apesar de ser um curso conhecido há muitos anos, a Análise e Desenvolvimento de Sistemas está cada dia mais em alta. Isso porque, com o avanço tecnológico dos últimos anos, a demanda da área de Tecnologia da Informação (TI) não para de crescer. O setor é um  dos que mais oferece vagas de emprego e, portanto, a busca por profissionais qualificados é contínua.

Mercado de trabalho e salário

Para quem se interessa por tecnologia e inovação, as opções de cursos – técnicos, rápidos, graduações tecnológicas, entre outros – são muitas. 

O que diferencia a graduação tecnológica em Análise e Desenvolvimento de Sistemas dos outros cursos são, principalmente, as diversas possibilidades de áreas de atuação depois que o aluno estiver formado.

Como hoje em dia, a maioria das empresas já têm seus processos informatizados, é necessário que haja profissionais de análise e desenvolvimento de sistemas para manter esses processos e tecnologias em funcionamento. Consequentemente, esses profissionais podem exercer a função em empresas dos mais variados setores e atuarem nos mais diferentes cargos.

O profissional pode, por exemplo, trabalhar com desenvolvimento de softwares, administração de redes ou administração de banco de dados.

Como desenvolvedor de softwares, como já falamos anteriormente aqui no blog, o profissional vai utilizar a linguagem de programação para criar novos softwares, sites e apps e melhorar e manter os já existentes. Ou seja, o desenvolvedor é indispensável para o avanço das tecnologias, por isso, a demanda é, e vai continuar sendo por muito tempo, altíssima.

Você vai entender mais a fundo como é o perfil, o mercado de trabalho, o salário e o dia-a-dia de um desenvolvedor, lendo esse conteúdo.

Já na parte de administração de redes, o profissional fica responsável por toda a instalação, parametrização e configuração dos sistemas informatizados de uma empresa, incluindo o que diz respeito à segurança da informação, ou seja, a segurança de todos os dados que passam por esses sistemas. É um cargo de bastante responsabilidade porque, basicamente, toda a tecnologia da informação da empresa estará sob a gestão desse profissional. Como já dito anteriormente, praticamente todas as empresas já possuem sistemas informatizados, então, a demanda para esse tipo de função também é bastante ampla. O salário médio para esse cargo é de R$ 4.946,85, segundo pesquisa do salario.com.br.

Já para um profissional que atua com administração de banco de dados, a mesma pesquisa mostra que a média salarial é de R$6.763,18. Nesse cargo, o analista/desenvolvedor de sistemas lida especificamente com a segurança dos dados.

Com os sistemas informatizados, sabe-se que uma quantidade gigantesca de dados é compartilhada diariamente. E, com isso, é necessário o conhecimento de um profissional que gerencie, organize e faça uma manutenção constante dessas informações. Tanto para que elas não sejam usadas de forma incorreta ou fora da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), quanto para gerar insights e novas oportunidades para a empresa.

Essas são apenas as três mais comuns das várias atuações possíveis para o profissional formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Mas, antes de ingressar no mercado de trabalho, é necessário se capacitar com uma formação de qualidade. Vamos entender quais as opções para quem quer se tornar um analista e desenvolvedor de sistemas?

Opções de cursos

Para se tornar um analista e desenvolvedor de sistemas, o aluno precisa cursar uma graduação tecnológica, também conhecida como tecnólogo. 

A graduação tecnológica é reconhecida pelo MEC como uma graduação plena como quaisquer outras graduações de bacharelado ou licenciatura.

Os principais diferenciais são: o tempo de curso e a especificidade dos conteúdos. 

Os tecnólogos, diferentemente das graduações tradicionais, são concluídos em, no máximo, 3 anos. E tem seus conteúdos voltados para os aspectos práticos da profissão, com foco no mercado de trabalho. 

Enquanto uma graduação tradicional é mais ampla, generalista e mais focada na teoria, podendo durar até 6 anos, dependendo da escolha do curso.

Diferença entre curso técnico e tecnólogo

Curso técnico e tecnólogo (graduação tecnológica) não são a mesma coisa.

Para iniciar em uma graduação tecnológica, assim como em uma graduação tradicional, o aluno precisa já ter finalizado o Ensino Médio. Diferentemente do ingresso no curso técnico, que pode ser feito a partir do segundo ano do Ensino Médio, ou seja, não é necessário já ter finalizado.

Como citado anteriormente, a graduação tecnológica ou tecnólogo, é considerado um curso de nível superior, enquanto o curso técnico é considerado de nível médio.

Se quiser entender melhor a diferença entre as duas modalidades, acesse esse conteúdo.

Onde cursar

O SENAI é referência nacional e internacional de ensino. Com docentes especialistas providos de experiência na área, você vai ter contato direto com o DNA da indústria e com as demandas atuais do mercado de trabalho. O desenvolvimento de competências técnicas e socioemocionais também vão fazer parte da sua formação. Além disso, ter o SENAI no currículo é ter preferência na contratação pelas indústrias.

Portanto, ao escolher um curso, pense na sua carreira e em onde você quer chegar. Conte com o SENAI!

Conheça mais sobre o curso aqui.