Compartilhe Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Linkedin
Faculdade SENAI: formando engenheiros para a vida

Faculdade SENAI: formando engenheiros para a vida

Ensino e Gestão
Faculdade SENAI: formando engenheiros para a vida

5 meses atrás 3 min de leitura

Na Faculdade SENAI, os alunos são protagonistas do próprio aprendizado e os professores agem como facilitadores neste processo. Três mantras regem as nossas engenharias: “Mão na Massa”, “Aprendizagem Baseada em Projetos” e “Projetos o Tempo Todo”.

Assista ao vídeo para ver a nossa maneira de olhar para a engenharia e acompanhe a matéria para entender como formamos futuros engenheiros e cidadãos responsáveis.

Mão na massa

Botar a mão na massa é saber o que é ser um engenheiro antes mesmo de estar formado” – Lucas de Carvalho.

Na Faculdade SENAI, exploramos metodologias ativas no processo de ensino e aprendizagem. Nosso foco é desenvolver projetos na prática, levando em conta as necessidades da comunidade em que estamos situados. Para o docente Reginaldo Motta, isso faz com que o aluno coloque a mão na massa de verdade. Afinal, é o estudante quem desenvolve o protótipo e fabrica a sua própria peça. 

De acordo com Lucas de Carvalho, estudante do curso de Engenharia Mecânica, foi esse o diferencial que viu na Faculdade SENAI: “Além de ter uma boa teoria, a faculdade é focada bastante na prática. É o que eu queria, botar a mão na massa e saber o que é ser um engenheiro antes mesmo de estar formado”.

Aprendizagem baseada em projetos

O currículo da Faculdade SENAI contempla diversos projetos integradores por semestre. Eles são desenvolvidos pelos alunos e têm como foco resolver problemas sociais, suportar inovações de natureza variada e arranjar soluções para as complexidades da indústria.

Eduarda Flor, estudante do curso de Engenharia de Controle e Automação, explica como essa dinâmica ocorreu para ela: “A gente foi juntando o conhecimento que cada um da turma tinha em alguma área. Eu já trabalhava com automação, o outro com mecânica… Nos juntamos e conseguimos fazer uma coisa extraordinária”. 

Segundo o coordenador Alexandre Araújo, para apoiar esse processo, os alunos têm disciplinas envolvendo desenho técnico, física, mecânica e eletrônica. Dessa forma, ao mesmo tempo em que os estudantes aprendem, já podem aplicar o conhecimento adquirido. Douglas dos Santos, estudante de Engenharia de Produção, explica que é possível colocar este aprendizado em prática tanto dentro da faculdade, como fora, no próprio ambiente de trabalho.

Projetos o tempo todo

Quando falamos que os alunos desenvolvem novos protótipos a todo momento, não é brincadeira. Com eles, os estudantes conseguem contextualizar todo o conhecimento na projeção e construção de novos produtos. Rodrigo Ersching, estudante do curso de Engenharia de Controle e Automação, comenta: “Tem que ter paciência, estratégia, raciocínio e o trabalho em equipe é fundamental“. Veja alguns dos projetos sociais desenvolvidos pelos graduandos:

Mobilidade de idosos

Um dos projetos sociais feitos pelos próprios alunos é a “Cama do Bem”, voltada para a mobilidade de idosos. Ivan da Costa, estudante do curso de Engenharia de Produção, explica que o protótipo é uma cadeira de rodas acoplável a uma cama, o que facilita a movimentação de quem precisa. Além da cama, os futuros engenheiros também desenvolveram um carro de transferência para idosos. A intenção deles é clara: o que querem é melhorar a qualidade de vida para todos, inclusive para os mais velhos. 

Brinquedos inclusivos

Pensando na inclusão social de pessoas com deficiência, os estudantes desenvolveram um balanço mecanizado para cadeirantes. De acordo com Eduardo Casas, estudante do curso de Engenharia Mecânica, o objetivo foi buscar a independência para as PCDs, até na hora da diversão. João Spengler comenta também sobre outro projeto, o skate adaptado para diversas deficiências. Ele diz: “A gente teve que botar a mão na massa, fazer, cortar o material, soldar“. Com a junção das ideias de cada um e o foco em solucionar problemas da comunidade, o mecanismo dos projetos integradores tornou-se extremamente prático para ajudar o aluno a crescer como profissional, mesmo dentro da faculdade.

Verdadeiros agentes de transformação, não é? E eles têm o reconhecimento da sociedade por isso. Célio Scholem, sócio da Associação Blumenauense de Deficientes Físicos, por exemplo, comenta:

Fiquei muito satisfeito em perceber o interesse da própria faculdade em fazer com que os estudantes se preparem para a vida profissional, de forma a contemplar a pessoa com deficiência“. 

E a professora Cristiane Garcia finaliza:

Uma das premissas da Faculdade SENAI é formar cidadãos. Queremos profissionais responsáveis com o seu fazer diário. Queremos que quando eles estiverem encarando a sociedade e o mundo do trabalho, que tenham orgulho em dizer que carregam essa marca“.

Isso tudo nos mostra a relevância da preocupação do SENAI em fazer com que além de profissionais, surjam também cidadãos responsáveis.

Aqui, queremos que você adquira a teoria e faça a coisa acontecer. 

Aqui, formamos engenheiros para a vida.

Conheça a Faculdade SENAI